12 de dez de 2010

Que venha o verão !

Dicas valiosas para receber o verão: Consuma frutas drenantes como ameixa, lima da pérsia e abacaxi. Elas ajudam o corpo a eliminar os excessos. Experimente consumir o abacaxi grelhado com uma gotinha de shoyo da marca Daimaru ou qualquer outra que não contenha glutamato de monosódio. Chá gelado - Faça jarras de chá de capim limão , erva cidreira, hibisco e guarde na geladeira, são melhores do que mate que contém cafeína. Consuma limonada, explore outros tipos de limão como Galego e o Siciliano. Para variar faça uma limonada usando água com gás e gelo picado. Atenção para não comprar água gasosa contendo aditivos químicos,entre as nacionais indico a São Lourenço . Para beber uma água diferente, gosto de ter em casa água de flor de laranjeira e água de rosas , pingo gotinhas na jarra e faço águas aromatizadas. Você encontra em loja de produtos Árabes ou produtos naturais, no Rio vende nas Casas Pedro. Frutas congeladas e batidas no liquidificador ou processador com um pouco ( meio cálice) de suco de laranja lima , água de coco ou água fazem deliciosos sorvetes naturais. Saladas, saladas e mais saladas, palitos de cenoura e de aipo sempre a postos na geladeira para quando der vontade de roer algo. Verão é a hora de sair da toca, trocar de pele , botar para fora o que passou,o velho que não serve mais, esvaziar para receber o novo. Dia 21 de dezembro ele está aí aquecendo a alma e acendendo paixões.

1 de dez de 2010

Food Rules

Michael Pollan é professor de jornalismo da Universidade da Califórnia em Berkeley foi editor-executivo da Revista Harper’s e colabora com a revista dominical do New York Times. Os seus livros me ensinaram muito sobre a perversidade da indústria alimentícia , autor de O Dilema do Onívoro, best-seller considerado um dos dez melhores livros de 2006 pelo New York Times," Em Defesa da Comida- Um Manifesto"-Ed Intrinseca e The Botany of Desire e Second Nature, lançou nos Estados Unidos mais um livro com o título “Food Rules” (Regras da Alimentação). No livro ele sugere algumas formas antigas, porém bem atuais de "Como Comer". Vale ter sempre em mente, ou fazer como eu que escrevi bem grande e colei na geladeira: - PAGUE MAIS, COMA MENOS. - COMA REFEIÇÕES. - SÓ COMA À MESA. - NÃO OBTENHA SEU COMBUSTÍVEL, NO MESMO LUGAR EM QUE SEU CARRO. - TENTE NÃO COMER SOZINHO. - CONSULTE SEU ESTÔMAGO. O QUE VOCÊ REALMENTE ESTÁ COM VONTADE DE COMER, E AINDA PRECISA DE MAIS ? - COMA LENTAMENTE. - COZINHE E, SE PUDER, PLANTE UMA HORTA.

13 de nov de 2010

Os lugares tem sabores. Búzios me lembra paixão, caipirinha de jabuticaba do Bar do Zé, Ceviche do Capitain's Bar, peixe vermelho, garoupa,dourado, sabor de mar, vento, esporte na água, corpo quente ardido com camiseta, havaina, short. Paraty tem sabor de banana da terra, fruta com comida salgada,bolo de tapioca,café, cachaça artesanal, de chuva no fim de tarde. Teresopólis tem sabor de vinho,doce de pera, arroz, feijão, salada de bacalhau, jogo de baralho,Norah Jones,lareira,comilança, café da manhã farto, salada fresca da horta, de limão galego. Goiânia tem sabor de biscoito de polvilho,broinha, pamonha, pupunha, guariroba, palmito selvagem, galinhada, colo e cafuné, conversa na varanda no final de tarde, de pequi. Pará tem sabor de pintado, Tacacá, Tapioca, sol escaldante, banho de rio refrescante, pensamentos delirantes. Florianópolis tem sabor de lagosta, camarão, peixe muito peixe , espumante, uva, maçã, morango, frutas silvestres. Bahia tem sabor de preguiça, rede,caminhadas longas pela areia, sem hora para comer, livro na esprigaçadeira, qualquer peixe fresco com salada, de cerveja quente, caipiroska de todas as frutas,sorvete de Graviola, Umbu, Cupuaçu. E o meu Rio de Janeiro tem sabor de água de coco, suco de fruta, biscoito Globo, Mate, picolé, mergulho no por do sol e muita salada. Receita prática como os cariocas ,para ser feita depois da praia quando a fome aperta. Salada Carioca Ingredientes: - Atum Light sólido na água ( lavar com água filtrada antes de usar) - Cenoura ralada ou cortada em tiras - Rúcula - Alface americana picada - Palmito em rodelas ( lave em água filtrada antes de usar) - Tomate orgânico - Cogumelos - champignon ( lave em água filtrada antes de usar) - Algas Hijiki - Broto de Alfafa, Brócolis ou qq outro broto - Aipo picado Molho: - 01 Cebola ralada - 01 pedaço pequeno de gengibre ralado na parte mais fina do ralador - Shoyu Daimaru - 01 limão espremido - Azeite - Orégano - Pimenta do reino - Ervas de Provence - Cominho Modo de preparo: Numa tigela grande misture todos os ingredintes da salada, já lavados em água filtrada com clorin ou similar. Num potinho misture todos os ingredientes do molho, pode bater no liquidificador se preferir. Jogue o molho por cima da salada e misture bem. Obs: O atum pode ser substituído por 02 ovos organicos cozidos cortado em rodelas, frango orgânico desfiado, queijo de cabra ou peito de peru. Para comer com os amigos ainda salgada da praia.

4 de nov de 2010

Suflê do Popeye

Na minha busca por comidas naturais o maior desafio é pegar um prato "junkie" e adaptar para o saudável. Transformo receitas originalmente fat em thin. Adoro visualizar receitas que pecam pelo excesso calórico e pelas combinações inadequadas e experimentar a troca de ingredientes buscando manter a mesma consistência e um sabor parecido com o original. O resultado varia, nem todas dão certo. Mas tenho alguns sucessos de adaptações saborosas onde alcancei o ponto , com a vantagem de ser mais leve e de fácil digestão. Uma receitinha bem boba que faço na correria é o falso suflê de espinafre. Ingredientes: - 01 Molho de espinafre fresco organico - 01 Cebola - 01 Ramo de cebolinha - 03 Claras de ovos orgânicos ( caipira) - Noz moscada - Sal light ou marinho - Ervas - Pimenta do reino Modo de preparo : Cozinhe o espinafre no vapor. Coloque no liquidificador o espinafre cozido, a cebolinha crua, a cebola ralada, as claras e os temperos. Bata até formar um creme. Unte uma forma de vidro com óleo de canola , óleo de gergelim ou óleo de linhaça ( unte com pincel e retire o excesso com papel toalha). Coloque em forno já aquecido de 20 a 30 minutos. Quando começar a cheirar está perto de desligar, deixe esfriar. Bom apetite!

17 de set de 2010

De risoto a bolinho

O jantar terminou. Os amigos foram embora e uma panela enorme de risoto me encarava. Risoto sempre rende mais do que eu calculo. E esse é um daqueles pratos que só dá para comer na hora, requentado não funciona. Mas e ai o que fazer com aquele panelão de arroz negro me olhando? Desperdício, ainda mais com comida não faz parte do meu vocabulário. Peguei o desafio e resolvi criar. Adoro bolinho de arroz... Hum... que tal um bolinho de risoto ao funghi ? Tirei o risoto da geladeira bati no liquidificador, fiz uma farinha com o gergelim que tinha em casa e fui misturando aos poucos. O gergelim deu a liga e a oleosidade que precisava para enrolar os bolinhos. Depois foi só levá-los ao forno. E não é que a invenção deu certo ! E o melhor ficou uma delícia. Ainda sobraram alguns bolinhos que congelei. Agora quando faço risoto não fico mais aflita com a quantidade de arroz. Já sei que pode se transformar num prato ótimo. Isso é o que me fascina na cozinha, o poder de transformação. No budismo diz: “O grande poder do ser humano é a capacidade de transformação “. Podemos transformar qualquer coisa ou situação, é só querer. Esse poder está na gente. Modo de fazer: Pode ser qualquer sobra de Risoto da sua receita favorita. *Bata separadamente cerca de 50 gramas de gergelim branco cru no liquidificador ou triturador. Depois bata no liquidificador a sobra do risoto já pronto. Numa vasilha coloque a massa de arroz e adicione aos poucos a farinha de gergelim e mexendo com a colher até dar a liga para poder enrolar em bolinhas. Faça bolinhas do tamanho de quibinhos e coloque numa forma em forno pré-aquecido para assar. Asse por 25 minutos. * A quantidade de gergelim depende da quantidade de risoto. Deve ser colocado aos poucos.

9 de set de 2010

ABC DOS TEMPEROS PARA QUE SERVEM

Adoro novos cheiros, aromas e sabores. Qualquer erva , fruta, folha, legume que descubro quero provar, sentir a textura. Tenho mania de pegar uma fruta, planta, erva, qualquer alimento e cheirar. Mania essa que as vezes me atrapalha, ja tive crise de espirro por cheirar profundamente uma pimenta, já cortei efeito de tratamento homeopatico por cheirar ervas sem saber que eram o antítodo da homeopatia. Mas para saber se um tempero combina com determinado alimento antes de provar na receita só mesmo através do olfato. Para facilitar a vida e evitar crises de espirro e cortes no tratamento homeopático, agora carrego uma listinha com uma relação dos temperos e suas combinações. Serve como um guia geral, uma orientação básica. Você pode e deve ousar, criar, fazer sua alquimia na cozinha. Guia para facilitar na escolha dos temperos: ( Esse guia foi passado pela amiga e grande chef Ana Ribeiro, a Ana Black) AÇAFRÃO: Dois tipos: 1) O bem nosso, o gengibre dourado - uma raiz de gosto forte, muito popular em Minas Gerais, usada depois de seca e moída; em São Paulo não é fácil encontrar em pó, mas vale a pena procurar; com açafrão o arroz e a galinha ficam não só uma delícia, como de um colorido lindo. 2) O outro tipo é ingrediente indispensável na "paella" (à espanhola), em risotos e sopas. Na Itália e França se usa muito também. Trata-se do pólen de lírios, que tem de ser colhido à noite, antes que as abelhas e passarinhos levem embora. É um pozinho amarelo. Só a dificuldade de colher e a quantidade de flores para produzir já fazem dele o próprio requinte na cozinha. Principais utlizações: Sopa de peixe ou frango, Na coloração do arroz e do risoto, paella e vitela, bacalhau a espanhola e bolos AIPO: Da mesma família que o salsão, só que mais graúdo, com o talo branco mais rijo e mais grosso. Ótimo nas saladas, canapés, ensopados. muito usadas na Europa e estados Unidos são as sementes, para temperar assados, sopas, picles e saladas. ALCAPARRA: Uma florzinha de cujo botão se faz o tempero. Facilmente encontrada em vidro, conservada em sal e vinagre. Bom em saladas, pratos de carnes diversas, peixes e frutos do mar, molhos e pizzas. ALECRIM: Erva aromática do Mediterrâneo. Cultivado principalmente na Itália, Espanha e Grécia. Folhinha de perfume doce e fresco, que vai muito bem no preparo de carnes, ensopados (carneiro fica sensacional), aves, peixes, molhos, sopas (principalmente as ervilhas e de tartaruga), omeletes. As folhinhas secas bem maceradas, passadas em carne de porco ou galinha, antes de assar, dão um toque especial. Um pouquinho também no nosso bolo de fubá, mas com calma que alecrim é forte. Usa-se também no preparo de frutos do mar. Principais utlizações: Berinjela, patês, coquetel de marisco, Minestrone e sopa de tomate, Batatas, couve-flor ou tomates, Omeletes, ovos recheados, Cozido de carne, assado de porco, frango, Peixes grelhados e cozidos, marinadas, Molho Branco para legumes, molho a bolonhesa, vinha-d'alhos, Suco ou salada de frutas e biscoitos. ALHO PORÓ: (Poireau-Leek): Tempero dos mais saborosos, indicado para todos os pratos da cozinha, especialmente as sopas. ALLSPICE: Nome inglês para a pimenta-da-jamaica. Uma frutinha muito saborosa, misto de cravo, canela e noz-moscada. Usada em pó, é tempero gostoso e versátil, que valoriza salgados ou doces, bolos ou pães. Especialmente indicada para sopas, ensopados, carne de panela, molhos, bolos de frutas e bebidas quentes, tipo grog. Veja pimenta-da-jamaica. ALFAVACA: Essa folhinha é o melhor tempero para peixes, carnes e aquele arroz que se cozinha com um tablete de caldo de carne. Duas folhinhas bastam. É meio parente do manjericão, porém mais saborosa. Fácil de plantar em casa. Deixar secar as folhas e guardar em vidro. ANIZ ESTRELADO: Fruto em forma de estrela, originária da China. Quando seco é ligeiramente amargo e de aroma intenso, sendo utilizado em receitas típicas chinesas de carne, de porco e pato. Também utilizado para aromatizar bebidas. ANETO: (Aneth-Dill): Combina com todos os peixes, saladas, sopas, aspargos e queijos brancos. BOUQUET GARNI: Mistura especial de 5 ervas, acondicionadas em saquinhos de pano para serem colocados na panela e retirados antes de servir. Usado em cozidos de carnes, legumes, sopas e frutos do mar. BAUNILHA: Fruto de planta nativa da América Central e México. Hoje muito cultivada na Malásia. Entre os astecas era conhecida a bebida "xoco-late", feita com cacau e baunilha. Suas lavas são utilizadas em pudins, fios de ovos, marron glacê, e em bebida com leite. Principais utlizações: (Em favas) Bebidas com leite, milk shakes, chocolate quente, massas, doces e recheios para, pastéis, recheio de queijo para pão, pudins, marrom glacê e fios de ovos CAMOMILA: Uma das mais populares ervas originárias da Europa, sendo fortemente aromática e de sabor intenso. Tradicionalmente utilizada com um eficaz chá calmante. O chá facilita também a digestão. CARDAMOMO: Fruta ou semente da planta da família do gengibre; nativo da Índia, também cultivada na Guatemala e Ceilão. Para utilizá-la é necessário retirá-la da casa e amassá-la. Use-as nas sopas, no fígado, na carne de porco, no pickles e para aromatizar licores. Muito usada, principalmente em molhos cremosos doces. A planta também e decorativa --tem flor cor-de-rosa, muito bonita. Principais utlizações: (Retirar e amassar as sementes) pickles. Para aromatizar licores,café, vinho quente, Em sopa de frutas e massas, batata doce, feijão cozido, fígado e carne de porco, peixes, molho para churrasco, geléias, compotas, pães, doces, tortas, ponche e arroz-doce CATREPIS: É uma mistura de quatro ervas: Noz-moscada, Cravo, Pimenta Jamaica, Canela. Use em bolos, doces torta de banana e pão-de-mel. CANELA: Planta originária do Ceilão, que foi introduzida na Europa pelos navegantes fenícios. Fornece sua casca, para ser comercializada em rama ou em pó para polvilhar bolos, biscoitos, bananas cozidas ou assadas, no arroz-doce e em rama no vinho quente e em compotas e caldas. Principais utlizações: (Em casca, em pó e com açúcar) Chocolate quente,casca no quentão e vinho quente, Sopas de carne e canja, Batata doce e espinafre, Cozidos, cobertura de presunto, bacon, carne assada, Em casca no cozimento do frango, Em casca no molhos para carnes e aves, Em bolos, biscoitos, bananas cozidas, pudins, mingaus CEBOLINHA: A irmã caçula de cebola; cresce no clima fresco do hemisfério norte. Diferindo dos seus irmãos, seu sabor é delicado e agradável. Use em molhos em geral, patês, massas, omeletes, carnes, peixes e no minestrone. Vai bem em pastas de queijos e sobre pratos de forno. Não deve faltar em vinhos d'alhos e saladas. Principais utlizações: patês, minestrone e macarrão, salada de batata, omeletes, carnes e frango, peixes, molhos em geral, vinha d'alhos CEREFÓLIO: (Cerfeuil-Chervil): Outra das Fines Herbes. Tempera saladas, peixes, queijos, omeletes, sopas e consomées. CHEIRO VERDE: É uma popular mistura de salsa com cebolinha, ambas desidratadas. Muito utilizado em cozidos, no arroz, massas e patês. COENTRO: Da família dos cheiros-verdes, parente da salsa, com sabor e perfume bem mais estimulantes. A folha é indicada para pratos de peixe e frutos do mar, principalmente no Norte. A semente moída, esfregada em carne de porco ou frango, antes de assar, é sensacional; bom também para molho de carnes. Tem um leve sabor de limão. Use-o em ensopados e vinha d'alhos. Era usado pelos antigos romanos em "poções de amor". Não confundir com folha de coentro, que apesar de vir da mesma planta seu sabor é diferente. Principais utlizações: Pickles e conservas, Sopas de lentilha, legumes, feijão, ervilha, torta de cenoura, Frango grelhado, assado de carneiro e porco, peixe grelhado e marinadas, molhos para carnes, pão de gengibre e torta de maçã COMINHO: Semente amarelada marrom, originária do oriente e cultivada no Egito. Use-o em molhos para carne e peixe, legumes, ovos e queijo. Utilizado na carne assada, cozida ou de panela. Ingrediente básico na cozinha regional nordestina. Vai bem até no feijão. Sementes moídas são muito usadas para o tempero de picles. Experimente antes de usar, pois o gosto é forte. Principais utlizações: Maionese, sopa de legumes ou galinha, feijão, arroz, repolho, cenoura, batatas, queijos, cozidos de carne e aves, chilli com carne, hamburger, peixes cozidos, marinadas, molho de tomate CRAVO: Todos conhecem. A semente com o cabinho, é decorativa e aromática no "tendermade". Bom para doces brasileiros e compotas. Em pó, menos conhecido, tem sabor forte, ao mesmo tempo doce e picante. Tem que ser usado com moderação. Em bolos de carne, caldos e ensopados. Principais utlizações: Use inteiro no quentão,vinho quente, pickles, suco de tomate, Sopas, No cozimento de arroz e verduras frescas, Carne assada, pato a califórnia, frango cozido, Peixes, Molhos doces, molho de tomate, Em pó em geléias, bolos, biscoitos. Inteiro - doces, caldas CREMOR TÁRTARO: Se obtém a partir do depósito salino que os vinhos deixam na parede dos tonéis, rico em uma substancia chamada tártaro. É usado na fermentação dos vinhos feitos em casa e outras fermentações artificiais, como na confecção de balas. CURCUMA: Raiz da planta da família do gengibre. Nativa de Conchin China e importada da Índia e Jamaica. Ingrediente básico no curry e na mostarda. Usado em sopa e massas. No Brasil conhecido como Açafrão da Terra. Principais utlizações: Pickles e maioneses, Sopas e macarrão, Na coloração do arroz; cobertura para saladas, pratos de ovos mexidos ou cozidos, frangos grelhados ou assados, peixes e frutos do mar, molhos cremosos; molho branco ou queijo, Para colorir pães e bolos. CURRY: Ou caril. Originário da Índia. ''E uma misturinha de vários temperos e condimentos. Em pó, muito picante, parece bastante em cor com o nosso açafrão em pó. Muito usado em pratos de carne, aves, peixes, molhos. Também em arroz, sopas, cremes. Principais utlizações: Maionese e salada de batatas, patês, caldos, sopa de tomate, sopa rala de feijão, ervilhas, salada e arroz, Ovos, Carne de porco, frango temperado, frito ou cozido, caldeirada de peixe, mexilhões, camarão, frutos do mar, molhos para ovos, peixes, aves, carne branca, arroz ENDRO: Outra planta das pouco conhecidas. Aparentada também com a erva-doce. Vai muito bem em peixes e sopas. Excelente para conservas de pepinos, pimentões e picles. Principais utlizações: Pickles, suco de tomate, macarrão, saladas, couve-flor, pratos com ovos e ricota, lombo de carne de porco, no tempero para peixe e moluscos, vinagrete ERVA-DOCE: Nativa da região do Mediterrâneo; é também muito cultivada no México. Use-a em biscoitos, bolos, pães, torta de frutas, maçãs assadas, caldas de doces e canapés. ESTRAGÃO: As folhinhas são muito parecidas com as da erva-doce. Perfeito para o tempero de porco, galinha, ovos, peixe. Dá um sabor especialíssimo a molhos de saladas à base de vinagre, sopas e pastas de queijo. Ótimo bem picadinho junto com manteiga derretida, para derramar sobre espargos, vagem, beterraba, ervilha ou espinafre. Principais utlizações: Maionese e pickles, Sopa de tartaruga e creme de peixe, salada de atum e saladas verdes, creme de ovos, Na preparação de vitela, carneiro, frango grelhado, limão e recheio de peixes e moluscos, vinagrete e molho Tártaro FINES HERBES: Mistura de 4 ervas que tornou famoso o Omelete aux Fines Herbes. Essa combinação de cerofólio, cebolinha francesa, salsa e estragão é o degredo de muitos chefs. Também usada para peixes, legumes, maioneses, queijos, mostardas e souflés. FUNCHO: Também da família da erva-doce ou anis. As folhas temperam bem peixes, algumas sopas (os franceses acham o funcho indispensável para a "boulabaisse"). Também dá licor. Usa-se o bulbo para fazer saladas. GENGIBRE: Erva muito usada na cozinha brasileira, principalmente nNorte. Ralado é indispensável no vatapá, por exemplo. Dá um gostinho especial em pratos de carne moída, peixes e camarão. Mas cuidado que é forte e ardido *lembre-se do nosso quentão). Muito usado em pó, principalmente na Europa e Estados Unidos, em doces, bolos e pães. Excelente no preparo de conservas, picles, "chutneys". Principais utlizações: Pickles, chutney, conservas, Massas doces, Arroz, batata doce e cenouras, carne de porco e aves ,peixes, molhos em geral, molho para vitela, carne de porco, pão de gengibre, bolos, biscoitos e torradas. GERGELIM: Sementinha com sabor muito semelhante ao das amêndoas. Muito usado na cozinha árabe. Bom para acrescentar à massa de pãezinhos, certos bolos, biscoitos. Fica ótimo polvilhado sobre galinha, peixe ou macarrão, antes de ir ao forno. Em pães, pãezinhos, biscoitos ou roscas, também. O gergelim dá um óleo com alto teor de gordura. Principais utlizações: Canapés e patês, na massa e no recheio de tortas, espinafre, tomates e batatas, torrado nas saladas, cobertura de queijos, Use torrado em carne, moída e recheio para aves, torrado na cobertura para peixes, pães, bolos e biscoitos. HERBES DE PROVENCE: Combinação maravilhosa de 7 ervas aromáticas para assados, grelhados e molhos de carne em geral. HORTELÃ: existem algumas variedades. A mais conhecida é aquela plantinha rasteira. Sua folhinhas aromáticas são geralmente usadas frescas. Mas podem ser guardadas secas também. Excelente no tempero de molhos para salada, sopas, carnes, peixes. Muito popular na cozinha árabe. Gostosa em refrescos e complemento de drinques (mint julep).Vai bem em geléias também. KUMMEL: Planta originária da Europa e Ásia, onde cresce espontaneamente, posteriormente aclimada e cultivada na América do Norte. Conhecida no Brasil também pelo nome de Alcaravia. Muito utilizado em pratos alemães, eslávicos e húngaros. Use-o também em bolos, pães, biscoitos, patês e sopas. Principais utlizações: Licor, patê de queijo, salpicado em sopas, creme de ervilha, chucrute, salada de repolho e couve, torta de queijo, carne de porco, assado de carnes de vaca, pão de milho, maçãs assadas. LOURO: Outra folha essencial para a vinha d'alhos. Extremamente aromática, deve ser usada com cuidados. Há quem goste no feijão e algumas verduras. Vai bem em molhos ( de tomate, inclusive), assados, ensopados e conservas. MACIS: Do invólucro (arilo) de noz-moscada se extrai este óleo, usado no preparo de certos tipos de chocolate. Um pouquinho dá ótimo sabor a molhos, pirão de batata, verduras. Vai muito bem na vinha d'alhos. Umas gotas na massa de bolos e pudins. MANJERICÃO: Tempera muito bem carnes, assados, sopas e alguns tipos de conservas. Genial em peixes e camarões, ovos, queijo, tomates recheados. Pode ir na vinha d'alhos; sabor a aroma fortes. Vá com calma até conhecer bem. Tenha sempre um pé no quintal ou em um vaso. Principais utlizações: Beringela e pimentão, Sopa de tomate, pizza ( no lugar do orégano), arroz, saladas verdes ou de legumes, vagem, omeletes com tomate, Recheio para frango, peru, vitela, carne de porco, pão de carne, com manteiga para cobrir peixes e lagosta, molho de tomate e vinagrete. MELISSA: da família da erva-cidreira. Água de melissa sempre se usou para acalmar os nervos. Mas é também um tempero aromatizante. Um pouquinho em caldos e carnes dá certo. MANJERONA: Pouco mais suave que a alfavaca, excelente em pratos de carne, peixes, camarões, molhos. Essencial na vinha- d'alhos. Dá um gostinho especial ao molho para saladas, verduras refogadas, omeletes, caldos de carne, ensopados, cogumelos. As folhas secas também são usadas para os mesmos fins. Parece um pouco com orégano. Principais utlizações: Maionese e patês, Sopa de batata, consomê de cebola e pizza, suflê de batata, legumes cozidos, cenoura, omeletes, ovos mexidos, salada de ovos, carne moída, frango grelhado e lombo, com manteiga derretida em peixes grelhados, molho de queijo, pão de ervas. MOSTARDA: Da semente se faz um pó que pode ser usado assim mesmo, ou então em pasta com vinagre e temperos. Ideal na maionese e molho para salada (principalmente de batatas). Tempera muito bem carnes. A semente pode ser usada para dar gosto em conservas, picles. Principais utlizações: Pepino, conservas, salgados em geral, Sopa de cebola, Aspargos, broto de bruxelas, batatas e brócoli, Porco e vitela, Ostra e camarão, Use em pó para molhos cremosos NOZ-MOSCADA: Tem um cheiro muito gostoso, em semente ou pó. O melhor é Ter a semente guardada em vidro e ralar na hora: conserva mais o aroma e o sabor. Mais usada em bolos, doces, sobremesas, não só na massa, como um pouquinho polvilhada em cima, no caso de cremes feitos em banho-maria. Formidável para temperos de carnes, ou qualquer receita de carne moída. Principais utlizações: Coquetéis de leite, bebidas com chocolate, Sopa com queijo, canja, creme de galinha, Bolo de batata, cenoura e repolho, Queijo, na torrada e fondue, Na maioria das receitas com frango, Peixes fritos, Molhos de queijo, para salada doce, de tomate, Bicoitos ingleses, panquecas, gemadas, leite, vinho, pudins. ORÉGANO: Este, todos conhecem: é o best-seller dos temperos. Não há pizza que se preze sem ele. Vai muito bem também em carnes, molhos para bifes, saladas (tomates, cebola em rodelas, óleo, vinagre, sal, pimenta-do-reino e, lógico, o próprio orégano). Pode ser usado seco ou fresco. Principais utlizações: Suco de tomate, patês, torradas temperadas, Pizzas e minestrone, batata cozida ou ao forno, Ovos mexidos com tomate, omeletes, cozidos de carne de porco, costelas e aves, peixes assados e frutos do mar, vinagrete e molhos em geral PÁPRICA: Pó extraído do pimentão doce vermelho, muito usado na cozinha húngra. Dá cor e sabor. Experimente com calma antes de aderir. Em galinha, bolo de carne, "goulash", guisados ou ensopados, alguns molhos. Principais utlizações: Canapés, salpicar no coquetel de camarão e em patês, Minestrone, sopa de legumes cremosa, sopa de galinha e lasanha, Na coloração do arroz, salpicar na batata sauté, Ovos gratinados, maioneses com ovos, Goulash, frango assado ou ensopado, carne de porco, caldeirada, peixe grelhado, camarão e frutos do mar, molhos em geral. PAPOULA: Sementes bem miudinhas. Sensacional, polvilhadas em cima de pães, bolos, bolachas, antes de ir ao forno, e na massa de pudins, pães e tortas. Ou junto com manteiga derretida, para assar batatas, cenouras, ou ainda macarrão de forno. Dá um recheio diferente para bolos, misturando um pouquinho com mel e uma colherada de caldo de limão. Principais utlizações: Aperitivos de queijo e patês; na ricota e requeijão, massa, torta, macarrão; na maioria das saladas; ovos mexidos; molhos para saladas; Compotas de frutas, cobertura para salada de frutas, bolos. PIMENTA-CAIENA: Essa é vermelha e bastante ardida. Mas é ótima para peixes e molhos. PIMENTA-CUMAÍ: Redondinha, verde, dizem que não faz mal a ninguém. PIMENTA BRANCA: Extraída do mesmo fruto da pimenta-do-reino, mas menos aromática, utilizada em pratos que não permitam ingredientes que alterem a sua cor; na conserva de legumes utilize-a em grãos. Em molhos picantes e temperos para a carne de coelho e frango use-a moída. Principais utlizações: Em grão, nas conservas de legumes e maioneses, Em pó nas sopas de legumes e feijão. PIMENTA COM COMINHO: Mistura muito popular nos pratos nordestinos, utilizada com grande fartura no feijão, cozidos de peixes e frutos do mar, caldas e molhos em geral. PIMENTA CALABRESA: Proveniente da Europa, é uma espécie extremamente picante. Use-a na preparação de molho picante para carne e peixe, na lingüiça e cobertura para lombo. Na azeitona preta e queijo, use-a com orégano e azeite. Principais utlizações: Azeitona, com óleo e orégano, queijos, patês e pickles, Molho para espaguete e pizza, croquetes, Cobertura para salada e feijão verde, Ovos, Em carne de porco e de vaca para churrasco, frutos do mar, camarão, molho para carne de churrasco. PIMENTA-DA-JAMAICA: Vai bem em temperos de carnes de todos os tipos. Logo, ótima na vinha-d'alhos. Veja allspice. Principais utlizações: Patês de presunto e fígado, pepino em conserva e pickles, Minestrone e sopa de aspargos, espinafre e cenoura, cozido de carne, porco e vitela, peixe cozido, molho para carne de porco e vitela, pães rápidos ou de fermento, bolo de fruta, compotas, torta. PIMENTA-DE-CHEIRO: Vem da Bahia. Redondinha, vermelha, é bem ardida e bastante perfumada. PIMENTA-DO-REINO: Internacionalmente conhecida. Essencial em toda cozinha, pouca coisa dispensa. Há duas espécies: a preta, mais forte e a branca, um pouco mais suave. Principais utlizações: Suco de tomates, em grão, nas conservas, na salada de hortaliças e de legumes, com moagem grossa use com pasta de queijo,carne de panela, frango assado, peixes em geral, molhos em geral. PIMENTA-MALAGUETA: Vermelha, comprida, das mais ardidas. Foi trazida ao Brasil pelos portugueses. RAIZ-FORTE: Vem do Oriente. Muito usada na cozinha russa, encontra-se ralada, em vidro. Picante, dá um gosto bom aos molhos, churrascos e assados. Principais utlizações: Moderadamente em canapés, Saladas cruas, como as de pepino e rabanete, carnes vermelhas e brancas assadas com molho, Arenques, molhos picantes. ROSMANINHO: De origem portuguesa. Não é fácil de encontrar. Valoriza muito os molhos, especialmente para saladas e carnes. Vai bem na vinha-d'alhos. SALSA: Cheiro verde, de todos, o mais conhecido e usado. Há dois tipos: a salsa de folhinhas crespas (ou salsa-musgo) que enfeita qualquer prato, além de temperar, também é colocado em sopas, assados, risotos (batidinha na manteiga para passar em batatas cozidas, ou em omeletes, é essencial). A salsa de folhinhas lisas trem sabor um pouco mais forte. Qualquer das duas pode ser usada em tempero de carnes de toda espécie, em sopas, refogados, pratos de forno, farofas, pastas de queijo, verduras, molhos. Tanto no preparo, como picadinha e salpicada por cima depois. Podem ser guardadas e usadas secas. SALSA DESIDRATADA: Uma erva tradicional da cozinha internacional. Não há necessidade de reidratá-la antes de utilizar, mas nunca acrescente-a em óleo quente pois a enrijecerá. Use-a para condimentos ou simplesmente decorar. Principais utlizações: Ornamenta e dá sabor aos canapés, Macarrão, lasanha, croquetes, waffle, sopa de legumes, Saladas verde, arroz, legumes, omeletes e ovos mexidos, carnes e aves fritas ou grelhadas, Em recheio para peixe, carne de caranguejo, molho de ervas, tomate e de salsa SAL COM AIPO: Use o sal com aipo em sopas, carnes grelhadas em geral, canapés e aperitivos. SAL COM CEBOLA: Use o sal com cebola em sopas de vegetais e em pratos com ovos e queijos. SAL COM ALHO: Use o sal com alho em sopas, saladas, molhos e patês, frutos do mar, massas, carnes, canapés e torradas. SEGURELHA: Também ser usada de leve. Em sopas de ervilha, lentilha, feijão. Dá um gostinho bom em suco de tomate. Vai bem, mas pouquinho, no tempero de carne de porco, galinha e peru. Faz parte da vinha-d'alhos. Principais utlizações: Suco de tomate, Sopa de creme de peixe ou feijão, sopa de vegetais, Broto de bruxelas, vagens e legumes, ovos cozidos, Recheio para carnes, aves e hambuger, Recheio para peixes gordurosos, Molho madeira, tempero para salada. SALVIA: Folha de sabor forte, muito popular na Itália. Bem aproveitada aqui também em farofas para rechear galinha, peru, pato. Mas é bom usar devagar, senão seu sabor dominará tudo. Principais utlizações: Patês de fígado e de queijo, sopa de tomate, lentilha e macarrão, tomates, purê de batata, espinafre, saladas verdes, queijos e omeletes, carnes gordurosas, linguiça, carne de porco, pato, Ensopado de peixes, Use com alecrim e tomilho para molho de churrasco, pão de ervas. TOMILHO: Aromatizante de sabor forte. Deve ser igualmente usado com muito cuidado, mas vale a pena experimentar em molhos, peixes, sopas, recheios para aves. Sensacional para peixe, lagostas e camarão. Melhor ainda em carnes, principalmente de porco: esfregue um pouquinho macerado junto com sal e pimenta-do-reino. Principais utlizações: Patês, caldo de carne e galinha, cogumelos, cebolas e batatas, ovos fritos e mexidos, carne de porco, vitela, coelho e cozidos,peixes gordurosos, cozidos, recheios. ZIMBRO: Esse é um grãozinho quase desconhecido. Os pequenos frutos secos macerados e destilados dão a bebida chamada genebra. Valoriza bastante temperos de carnes. Como a vinha-d’alhos. Principais utlizações: Para aromatizar bebidas alcoólicas caseiras, no cozimento do feijão, indispensável no chucrute, Cozidos de carne e frango,molho para carnes.

7 de set de 2010

Mudança de estação

Estava quieta no meu canto. Eu não te procurei não te desejei, não atendi suas ligações. Não era o meu perfil inventado, não tinha as características listadas, não se parecia com o meu modelo criado e planejado. Por que você não precisava, não tinha que ter nada. Sem pedir licença você foi entrando, ocupando os espaços, os vazios, os silêncios. Sem tocar o interfone você foi abrindo a porta, devagarzinho na surdina. Sem fazer barulho, na ponta dos pés, você esperou eu dormir para se aproximar. No que eu me distraí, abaixei a guarda, você entrou pela fresta, pela brecha na janela. E quando vi, era como se você sempre estivesse estado aqui. Mas durou apenas uma estação. O vento passou a soprar para o outro lado. As folhas secaram , aos poucos cobriram o chão formando um tapete marrom. Foi-se o outono. O tempo esfriou mais ainda. Hora de recolher, entrar na toca, se agasalhar. Inverno, introspecção, pensar, fortalecer e reconectar. No budismo diz : “O inverno nunca falha em tornar-se primavera”. Até que o sol volta finalmente a aparecer e aquece lentamente a alma. Brotam as flores, as frutas. Os pássaros cantam mais alto. Bem vinda primavera! Momento da transformação,de mudar, deixar para trás. Desabrochar, sair da toca, da lagarta virar borboleta e da borboleta voar. Aproveito a mudança de estação para me desintoxicar e sintonizar com a natureza. Sugiro o suco desintoxicante receitado pela minha guru da alimentação Rachel Barros. Tomar se possível duas vezes ao dia. Ao acordar ainda de estômago vazio e no final de tarde 01 hora antes do jantar. Suco detox: Passar na centrifuga: Ingredientes: 03 cenouras descascadas 01 folha couve mineira orgânica 01 punhado de hortelã 01 punhado de salsa 01 talo de aipo 01 pedaço pequeno de gengibre Pode acrescentar uma maçã sem casca. (opcional) Passar todos os ingredientes na centrífuga e tomar imediatamente. Aguardar 15 minutos antes de consumir qualquer outro alimento. E quando for a feira comprar os ingredientes para o suco , aproveita e compra também flores para casa, tira o vestido do armário , coloca o óculos com lente cor de rosa e se joga na vida !!

18 de ago de 2010

Lasanha vegetariana sem glúten

Outro dia meu celular tocou e uma voz com um sotaque mineirinho do outro lado se indentificou como Chico Geraes. Chico Geraes ?! Sabia que conhecia esse nome, mas de onde era mesmo... Pronto , lembrei! Era o dono da marca de produtos sem glúten que mais gosto. Devo ser uma das suas primeiras consumidoras aqui no Rio. A ligação era para se apresentar e me presentear com as novidades que ele está lançando. Chico está lançando biscoitos crecks com novos sabores de cebola e alho, gergelim, mandioca pura, ervas, palitos de tahine e ainda as massas de lasanha e pizza. Tudo sem glúten. As massas já vem cozida, basta colocar no forno por alguns minutos com o recheio de sua preferência. Fiz a pizza com o que tinha em casa, uma deliciosa cobertura de cogumelos frescos com funghi , alho, pimenta e azeite. A lasanha fiz com recheio de palmito e alho poró, e molho bechamel de espinafre para cobertura. Tudo muito simples. Anota ai: Recheio da lasanha: 01 vidro de palmito orgânico 01 talo de alho poró sal marinho cominho pimenta do reino Refogue o alho poró em rodelas na wok com pouco de água misture o palmito lavado em água quente e picado. Tempere com cominho, sal e pimenta. Bata parte do recheio no liquidificador e deixe a outra em pedaços. Molho bechamel. 01 molho de espinafre 01 colher de farinha de arroz ou FSG ( farinha sem glúten) 01 copo de água 200 ml quente. cominho pimenta do reino sal marinho Em uma panela misture água quente com a farinha de arroz e mexa bem até dissolver, misture o espinafre picado e já pré cozido no vapor. Tempere com cominho, pimenta e sal e mexa até engrossar. Quando engrossar , apague o fogo, deixe esfriar e bata no liquidificador. Para montar. Pincele azeite no pirex de vidro. Cubra com uma fatia da massa pronta e seca de lasanha, despeje o recheio de palmito. Intercale fatias de massa com o recheio, termine com a massa e cubra com o molho bechamel. Leve ao forno pré aquecido de 10 a 15 minutos. Recheio Mix de cogumelos serve para pizza ou para lasanha: 100gr de funghi 01 bandeja de cogumelos frescos ( qualquer tipo) 05 dentes de alho sal marinho e pimenta a gosto. Hidrate o funghi na água quente ou no vinho branco. Faça um refogado com óleo de canola e alho picado na wok , junte os cogumelos picados, o funghi escorrido e picado, salpique pimenta e sal a gosto. Misture até ficar macio. Bata parte desse recheio e a outra deixe em pedaços. Cubra a massa de pizza com parte do recheio batido e por cima a outra em pedaços ,leve ao forno pré aquecido por 10 a 15 minutos. Sirva com salada verde. Delicie-se !

Torta de Peixe

Acabo de voltar de uma viagem a Amazônia, mais especificamente Oeste do Pará, Santarém, Atér do Chão. Uma das viagens mais enriquecedoras que já fiz. Por tudo, por perceber os diversos "Brasis" que existem dentro do nosso Brasil, por conhecer outras belezas além das praias do Nordeste e do Sul. A vida de quem vive da floresta de quem respeita e protege a natureza e suas leis, e que mesmo sem instrução acadêmica sabem o principal, o essencial: a grandeza e a importância da mãe Terra. Não possuem muito dinheiro nem bens materiais, assim como desconhecem a angústia e a mini depressão dos domingos. Dormi na rede, andei de canoa, vi cobra, pássaros, paca, tatu, nadei no rio, comi muito tucunaré, tucupi, tacacá, tapioca e açaí. O rio Tapajós me renovou. Ainda fecho os olhos e me lembro da sensação de nadar em suas águas às seis da tarde com o sol se pondo sobre o meu corpo. Recarreguei as baterias que precisava para começar uma nova etapa da vida. Trouxe comigo muitas sensações, cheiros e sabores. Para matar as saudades fiz uma receita com um dos ingredientes que veio na mala. Piracuí, uma farinha feita unicamente de peixe, o peixe seco, cozido e triturado. Ótima para fazer bolinho de peixe, de bacalhau e tortas salgadas. Experimentei uma torta de atum e ficou ótima. Ainda não procurei essa farinha por aqui, talvez em casa de produtos paraenses ou de produtos regionais. Anota ai: Para massa: 04 xícaras de farinha de peixe- Piracuí. 01 xícara de água Azeite Para o recheio: 02 latas de atum em lata light, ou melhor ainda dois filés de atum grelhados e desfiados. 1/2 molho de salsa. 1/2 molho de cebolinha 02 cenouras raladas 01 pote de palmito picado Pimenta do reino Comino 02 cebolas. azeite Modo de preparo da massa: Misture a farinha com água e um fio de azeite. Até formar uma massa. Unte um pirex de vidro com azeite. Forre com a massa. O recheio: Em uma panela grande ou Wok, coloque um pouco de água e a cebola picada, deixe a cebola dourar. Despeje o Atum ralado, a cenoura ralada, o palmito, a salsa e cebolinha picadas, pimenta do reino e cominho a gosto. Coloque um pouco de água aos poucos durante o cozimento. Não precisa de sal pois a farinha de Piracuí é muito salgada. Refogue esses ingredientes. Deixe esfriar. Opcional: Bater um pouco no liquidificador ou processador. Despeje esse recheio sobre a massa na forma. Opcional: cobrir com parte da massa formando um empadão ou deixar com o recheio por cima como uma torta. Cubra com papel laminado. Leve ao forno por cerca de 25 minutos. Bom apetite!

20 de jul de 2010

HORTA PRONTA ONLINE

Recentemente comecei uma hortinha no meu prédio. Tirei um final de semana e fui até Itaipava no Hortomercado comprar as mudinhas que lá são bem mais baratas. Eu mesma plantei sem técnica nenhuma, no instinto, sem saber se iriam vingar. Não sei se foram as mudas que comprei que são resistentes, mas o fato é que estão dando certo. Cada dia mais fortes. Até mesmo a rúcula e o aipo que achei que seriam difíceis de pegar. Estou curtindo acompanhá-las, não passo um único dia sem visitar, ou ao menos dar uma espiada para ver como tem passado o tomilho, se o coentro melhorou, se a hortelã cresceu. E para quem não tem tempo ou essa animação toda, agora já é possível montar uma hortinha sem sair de casa, encomendando pela internet. O projeto disponível por enquanto só para quem mora em São Paulo me pareceu uma mão na roda. Através do site você escolhe seus temperos, coloca no carrinho , faz o pagamento e eles entregam a hortinha pronta. Estou torcendo para que o projeto tenha muito sucesso. Saiba mais sobre o projeto acessando o link. http://sites.google.com/site/hortaprontaonline/ Depois me conta o que achou.

9 de jul de 2010

A Indústria Alimentícia

Há segredos guardados a sete-chaves pela indústria alimentícia que, uma vez revelados, podem pôr muitos consumidores para correr. O site Eat This, Not That descobriu "a lista podre" da fabricação de alguns alimentos, como uma quantidade exagerada de gordura saturada em milk shakes, a presença de hormônio que pode causar câncer em laticínios, os produtos químicos dos refrigerantes diets que podem fazer você engordar e muitas outras enganações. Veja só: 1) Milk Shakes: A indústria não quer que você saiba a quantidade de ingredientes que é usada para dar a consistência dos deliciosos milk shakes de lanchonetes e redes fast-food. Alguns exigem mais de 50 ingredientes, o que aumenta muito o número de calorias e a quantidade de gordura saturada ingerida. 2) O hormônio rbST, também conhecido como rBHG, hormônio transgênico de crescimento bovino, está ligado a casos de câncer, e é injetado em vacas para aumentar em de 10% a 25% a produção de leite. O resultado é que os leites em caixinhas acabam apresentando, como resultado do hormônio, uma grande concentração Fator de Crescimento da Insulina - 1 (IGF-1), que pode ter efeitos benéficos para a saúde, mas, em grande concentração, aumenta o risco de vários tipos de câncer, como o de mama, de próstata e o colorretal. Há estudos que desmentem essa relação, mas já existem nos Estados Unidos grandes redes de supermercado investido no leite sem hormônios. 3) A indústria de refrigerantes diet não quer que você saiba que os adoçantes artificiais podem fazer você engordar. É aqui entra o paradoxo: os refrigerantes podem ter mesmo zero de calorias, mas podem aumentar o seu apetite e levar ao superconsumo de alimentos. Uma das teorias que critica os refrigerantes zero é que ao dar ao corpo uma injeção de açúcar sem calorias, ele reage buscando outras fontes de energia. 4) As garrafinhas prontas de café com leite que estão se tonando populares aqui no Brasil são altamente calóricas. Mesmo as com leite desnatado. Elas têm cerca de 10% da energia que você precisa consumir o dia inteiro. Há algumas que contêm 500 calorias! 5) As águas enriquecidas com vitaminas ou minerais têm mais açúcar que uma barrinha de chocolate. A indústria defende que os 32,5 gramas de açúcar presentes em cada garrafinha vão melhorar sua saúde porque esta quantidade é insignificante (não é!) e a enxurrada de vitaminas faz um bem enorme (isso ainda está em debate!). Se a sua dieta já for remotamente próxima de algo saudável, esta quantidade de vitaminas já estará sendo ingerida. 6) A indústria da cerveja e dos refrigerantes não quer que você saiba que as latas de alumínio são envoltas num plástico tóxico, o Bisfenol A. Estudos mostram que o Bisfenol A causa desequilíbrios hormonais e estaria ligado a casos de câncer. Saiba mais: Empresas começam a retirar o bisfenol A, substância potencialmente cancerígena, das mamadeiras 7) Sucos em caixa: Nunca acredite naqueles que se dizem 100% sucos, graças a uma falha no controle da FDA (Food and Drug Administration, agência americana que regula alimentos e remédios), que não é rígida com os rótulos desse tipo de produto. Aquela bebida que você imagina ser 100% laranja, manga ou goiaba pode não passar de uma mistura de um monte de sacarose com a cor da fruta com a qual você sonhava consumir. Essa matéria saiu no site do jornal O Globo. Finalmente começam a sair notícias sobre o assunto. Tudo bem que ainda não são manchetes dos jornais, estão sempre escondidas no caderno de ciências, internacional. Assunto que deveria ser escancarado que é de interesse geral,comemos todos os dias. E como se proteger ? Como fugir disso ? Comendo comidinha de casa, comprando orgânicos, valorizando produtos naturais , frescos, vivos. Desconfie de alimentos que possuem ingredientes com nomes difíceis que você não sabe o que significa. Comida não precisa de bula nem de dicionário para entender os componentes. Atenção ao que coloca para dentro é um ato de carinho e cuidado com você.

25 de jun de 2010

A caixa

Eram quatro e quarenta o parque fechava em vinte minutos. Precisava ser rápida. Mas onde ? Onde parar ? Que lugar escolher ? Como decidir por um lugar onde eu iria me lembrar para sempre e querer voltar daqui a sei lá quantos anos. Difícil. Pertubador. Por isso demorou tanto tempo. Aquela caixa morou comigo por mais de 04 anos. Mudou de lugar várias vezes pela casa, mas sempre ali fechada. Intocada. Nesse dia, eu abri. Estava decidida a não carregá-la para o novo apartamento. Queria me desfazer de tudo que fosse excesso, peso. Abrir espaço para o vazio, para o novo. E a caixa estava incluída nessa lista. Respirei fundo e retirei o saco que pesava mais ou menos uns 02 kilos de pó grosso preto, cinza. Coloquei na mochila junto com uma tesoura, e parti. Andando no parque confusa, atordoada com a responsabiliade da missão. Tinha que ser rápida, os guardas já circulavam avisando do horário. Comecei a me embrenhar por trilhas isoladas que não passassem muita gente. Fui andando apressada pedindo algum sinal, uma luz, um insight que me apontasse o lugar. Com pressa a tarefa estava se tornando ainda mais agoniante. Mas me recusava a voltar para casa com aquele peso nas costas. Sem a missão cumprida. Só eu sabia o que aquela experiência me custava e me valia . Eram anos de análise. Tropecei numa pedrinha e uma folha grande amarela navegando no céu começou a pousar na minha frente apontando como seta. Uma cachoeirinha intocada com riacho e um canto de pedras formando um banco onde eu pude me apoiar, cortar o saco, despejar as cinzas, acender um incenso e rezar. Ali despejei os restos físicos daquela de onde saí. Fiz uma oração. Conversei, perguntei se ali estava confortável para ela. Me despedi e parti. Leve. Uma grande borboleta amarela foi ao meu lado me acompanhando até a saída da trilha. No caminho agradeci a Sininho, acho que foi ela que apontou o lugar. Os cogumelos me lembram os alimentos do reino encantado. Combinam com fábula e floresta. Quando cheguei em casa fiz essa receita. Patê de cogumelos da Sininho 01 pote grande de champignon 02 col de sopa de azeite virgem ervas de provance ( use o que tiver, pode ser tomilho, alecrim, sálvia, manjericão,salsa..) 02 dentes de alho crú Metade de 01 talo de alho poró pimenta do reino noz moscada * 01 col de azeite trufado ( opcional, mas dá um toque muito especial) 02 col de gergelim crú branco o1 col chá de sal marinho 1/2 limão ( suco) Lave os cogumelos em água filtrada. Coloque no liquidificador todos os ingredientes e bata até virar um creme. Se precisar coloque um pouco de água filtrada. Sirva com palitos de cenoura, aipo, pepino, rodelas de tomate, palmito ou torradas. Convide o Peter Pan e bom apetite ! :-) Obs: A receita pode ser feita bem prática com os ingredientes todos crús e batidos ou pode ser feito um refogado antes juntando o alho, alho poró picado e os cogumelos, e depois de refogar em frigideira bater junto com os outros ingredientes no liquidificador.

24 de jun de 2010

Saber Viver

Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós. Mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: Colo que acolhe Braço que envolve Palavra que conforta Silêncio que respeita Alegria que contagia Lágrima que corre Olhar que acaricia Desejo que sacia Amor que promove E isso não é coisa de outro mundo É o que dá sentido a vida É o que faz com que ela Não seja nem curta Nem longa demais Mas que seja intensa Verdadeira, pura ... Enquanto durar. Esse texto da poetisa Cora Coralina,conterrânea de Goiás, chegou as minhas mãos atavés de uma amiga budista. Cora é de Goiás Velho uma cidade histórica localizada em Goiás, que lembra a nossa Paraty com suas lamparinas e chão de pedra sabão. Lá acontece o FICA-Festival de Cinema Ambiental, que costumo acompanhar. Além da Cora e do FICA, a pequena cidade é famosa também pela diversidade de sabores dos doces de frutas em compota. Essa semana por acaso nas minhas experiências gastronômicas me arrisquei numa geléia de gengibre em homenagem ao inverno que acabou de chegar. Fiz completamente light e deu certo. Anote ai: 01 gengibre 02 limões (suco) 01 colher de sobremesa de gelatina agar agar em pó ( a venda em lojas de produtos naturais ou japoneses) 01 copo de água ( 250 ml) 01 colher cheia de estévia em pó 01 lima da pérsia descascada e cortada em pequenos pedaços. Modo de fazer: Em uma panela coloque o gengibre picado, o suco do limão,a lima, água filtrada, agar agar em pó e a estévia. Mexa bem devagar com colher de pau. Coloque mais água aos poucos caso seja necessário. O gengibre e a lima devem ficar bem cozidos, e a agar agar virar uma geléia. Apague o fogo e coloque em potinho de vidro com tampa. Esta pronta sua geléia caseira natural. Ótima para comer acompanhada de chá de capim limão com limão espremido.

Formação de Ecovilas- Curso

23 de jun de 2010

Pensar globalmente agir localmente

O alimento produzido localmente tem mais sabor. O alimento transportado de uma localidade distante fica velho, em geral, vem em caminhões ou aviões e ficam armazenados nos depósitos. Se o tempo de transporte for menor entre a fazenda que produziu o alimento e a chegada até a sua mesa, menor será a possibilidade de perda de nutrientes do seu alimento. O alimento produzido localmente sustenta famílias que moram nas localidades. Preços que fazendeiros ou produtores conseguem no atacado são, em geral, muito baixos e se aproximam do custo da produção. Pequenos fazendeiros locais que vendem diretamente ao consumidor eliminam o intermediário e recebem pelo preço de um produto no varejo -processo que o ajuda a manter famílias residindo na área rural e trabalhando na terra. O alimento produzido localmente constrói a comunidade. Quando você compra alimentos diretamente de um fazendeiro, você está se envolvendo em uma relação de respeito e responsabilidade entre o cliente e o produtor. Quando fazendeiros são pagos corretamente pelos seus produtos, eles têm menos interesse em vender suas terras. Quando você compra alimento produzido localmente, você está tendo uma ação proativa com o objetivo de preservar a paisagem agrícola do seu município ou do seu estado. O alimento produzido localmente beneficia o meio-ambiente e a vida selvagem. Fazendas bem administradas conservam o solo fértil e a água limpa para suas comunidades. O espaço em torno destas fazendas é uma colcha de retalho de campos, florestas, lagos e construções que permitem o habitat para a vida selvagem. O alimento produzido localmente é um investimento para o futuro. Ao ajudar fazendeiros locais hoje, você estará ajudando a assegurar que existirão fazendas em sua comunidade no futuro. Resumo da ópera : opte por comprar em feiras ou direto do produtor através das cestas orgânicas que entregam em casa. No supermercado entre uma mini cenourinha da California e uma orgânica de Teresópolis, escolha a nacional. Ao comprar água mineral vá na fonte mais proxima a você. Prefira frutas nacionais às importadas, o mesmo vale para frutas secas, temos a uva passa organica do Sitio do Moinho e a da California. Idem para as sementes, a castanha do Pará e de Bauru são nossas, já as amêndoas, nozes e pistaches não. Ajude o seu lugar, a sua cidade,estado, país. As mudanças acontecem de dentro para fora. Nota da Autora: Essa dica eu recebi da Fazenda Cafundó que entrega cestas fresquinhas de orgânicos em casa direto de Brejal-Petrópolis e os tópicos acima listados são de uma versão do folheto distribuído nas feiras de fazendeiros e produtores locais na cidade de Nova Iorque, em novembro de 2009, traduzido e adaptado. “With an Ear to the Ground” by Vern Grubinger (Burlington, Northeast Sustainable Agriculture Research and Education 1999) Used with permission Vá lá: Fazenda Cafundó- cestas de orgânicos em casa tel: 24 2259 2034/ 24 9998 0747 - cafundo@ism.com.br ______________________________________________________________________________________________________________________

21 de jun de 2010

FEIRA ORGÂNICA NOVA NA PRAÇA

Good news! A partir do dia 1o de julho começa a feira do Leblon na Praça Antero de Quental- toda 5af de 08 as 14h. Nas feiras os produtos costumam ser mais baratos pois vão direto do fornecedor para o cliente final. Outras feiras: Ipanema: Pça Nossa Senhora da Paz- 3af das 08 as 14h Copacabana: Bairro Peixoto- sábado das 08 as 14h Glória: Pça do Russel, sábado das 07 as 13h E que venham mais ! É importante ter em mente que ao consumir um alimento livre de venenos você gasta um pouco mais no alimento mas vai poupar muito lá na frente na conta da fármacia e dos exames médicos. Sáude !

17 de jun de 2010

Para comer junto a fogueira observando as estrelas

Acabo de passar por uma das experiências mais emocionantes da minha vida. A princípio fui convidada para ser madrinha. O convite , por si só, já era uma honra. Eu iria ler um texto meu, como já havia feito uma vez em outro casamento de amigos queridos. Mas, na realidade o meu papel foi muito maior do que o de madrinha. Eu representei o papel do padre. Fui à responsável por chamar as alianças, fazer com que os noivos me prometessem um monte de coisas. E eu prometi na frente de todos os amigos e da família dos noivos que eu vou cuidar e zelar pela união e felicidade do casal. Confesso que até agora estou baqueada. Não consegui expressar ainda o êxtase que senti naquele momento. Me senti praticamente uma Nossa Senhora, uma santa. A relação do casal em questão, bem antes de virar casamento... lá atrás teve um tempo conturbado, de crise, de dúvida, de rompimento. Onde o céu ficou cinza a certeza virou dúvida. O reto ficou torto, o claro ficou escuro. O mar virou. Na época, assistindo a história fiquei paralisada, descrente da vida, sem saber mais se valia a pena o amor. Mas ufa não era nada, foi apenas um ajuste necessário, uma vírgula na história, um respiro para ter certeza. Um esfregar dos olhos. Um instante. A vida é assim mesmo, esquenta e esfria, aperta e depois afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. E viva Guimarães Rosa! Tem problemas que só a poesia resolve. O casamento foi comemorado com festa junina e já que estamos na época, ai vai uma receita para comer nas noites frias de junho. Bolo de cenoura sem glúten e sem leite: Ingredientes Massa • 2 cenouras médias raladas (ou picadas) • 1 xícara Óleo de Canola • 3 ovos (eu uso só a clara) • 1 xícara de stévia em pó para culinária ( ou opcional : Linea para culinária ou ainda sem nenhum adoçante, para o meu paladar funciona, eu prefiro fica um pouco salgadinho). • 2 xícaras de farinha sem glúten ( FSG) * • 1 pitadinha de sal • 2 colheres (sopa) fermento em pó • Pincele a forma com azeite ou óleo de canola e farinha de arroz ou FSG para untar Preparo Untar a forma com azeite/óleo e a farinha , pré-aquecer o forno em fogo médio. Bata a cenoura com o óleo, os ovos e o stévia no liquidificador até ficar homogêneo. Na batedeira, junte a farinha, o sal e o fermento. Despeje a massa na forma e deixe assar por 40 minutos em forno médio. Aproveite ! * obs: Se não encontrar farinha sem glúten, use 01 xícara de farinha de arroz e 01 xíc. de polvilho doce.

2 de jun de 2010

Os Anjos

Era um sábado chuvoso,escuro, feio. Não sabia ao certo o que me levava a colocar um biquini,roupa de borracha, arrumar a mochila e partir para uma praia distante. O dia tendia a introspecção,escutar Cat Power, fazer macarrão e ficar meio deprê em casa. E isso era justamente o que eu não queria, então quem sabe com atividades outdoor o dia poderia modificar e tornar-se mais animado e divertido. E lá fomos nós rumo a Grumari. Chegando a praia já dava para sentir o perrengue que viria. O mar estava enorme, e chovia com um vento frio que doía. O irmão da amiga e seus amigos foram os primeiros a se lançarem no mar. Na sequência foram as meninas. Camilla deu sorte e passou a arrebentação de primeira. E eu, sobrei, fiquei para trás e nunca mais consegui sair da vala em que me meti. Passei um sufoco. Dava pra ver os amigos torcendo lá longe ao fundo e ainda a cara de aflição da minha amiga que passou a arrebentação e não sabia como faria para sair dali depois. Um amigo resolveu me resgatar, pediu que eu segurasse no seu pé para que ele remando na frente me puxasse. A tentativa foi boa, mas o mar estava grande mesmo e a manobra não estava fácil. Resumindo, tentei por cerca de 40 min entrtar no mar, até que desolada, acatei a vontade de netuno e redimida saí do mar. Saí ,sentei na areia, abaxei a cabeça e chorei. Chorei o choro dos fracassados,da frustração de uma adolescente que queria estar com os amigos e ficou sozinha na areia triste porque não conseguiu chegar. No terceiro soluço eis que vem vindo em minha direção um boto saindo do mar. - Não desiste não. Um surfista que acompanhava toda a cena e não se conformou. Ainda soluçando levantei a cabeça. - Vamos lá, não desiste não. Aqui está difícil mesmo mas vou te levar num lugar que você vai conseguir. E lá fui eu e meu novo amigo pela areia até o cantinho da pedra. Entramos juntos, ele me posicionou e ficou ali comigo esperando. Só sossegou depois que peguei minha primeira ondinha e viu meu sorriso no rosto. Ainda pude ver ele me aplaudindo e em seguida se despediu retornando para o seu pico. Fiquei ali por um bom tempo me divertindo sozinha e no fim do dia encontrei meus amigos. No carro, voltando para casa fiquei pensando no Zé o surfista que transformou o meu dia. Acho que os anjos aparecem nos momentos em que precisamos. E eles têm forma de gente. Para o Anjo Zé um Yaksoba natural: 01 pacote de massa de arroz bifum 02 cenouras cortadas em tiras Metade de 01 brócolis 01 Nirá ou cebolinha 01 broto de alfafa, brocolis, trevo, etc... 01 vidro de cogumelos champignon 02 cebolas em pedaços 01 pedaço pequeno de gengibre ralado Molho shoyu sem glutamato de monosódio óleo de gergelim crú gergelim branco e/ou preto crú Modo de preparo. Ferva um litro e meio de água. Coloque o macarrão e retire na sequência, um ou dois minutos depois. Atenção pois o macarrão amolece muito rápido. Numa panela Wok coloque um fio de óleo de gergelim, coloque primeiro a cebola, o gengibre, a cenoura o brócolis. Aos poucos adicione o nirá , o broto e os cogumelos. Deixe um tempinho cozinhando com a wok tampada. Mexa delicadamente com colher de pau até que eles fiquem al dente. Regue aos poucos com Shoyu, atenção para não exagerar e não use sal jamais, pois o shoyu é suficientemente salgado. Quando os legumes estiverem al dente, despeje o macarrão cozido que estava no escorredor. Salpique um pouco de gergelim branco e /ou preto por cima. Voilá! Agora é só chamar o seu anjo para jantar.

1 de jun de 2010

Receita para adoçar a relação na minha coluna no Personare

http://www.personare.com.br/revista/amor/materia/592/para-adocar-a-relacao

29 de mai de 2010

A gaivota

Estava deitada na prancha, bem longe da arrebentação, no silêncio acolhedor do oceano e me sentia completamente em paz. Plena, segura, inteira, em casa. A gaivota sobrevoava perto de mim , era como se conversasse comigo. O sol me abraçava, aquecia minha alma. A brisa fazia cafuné no meu cabelo. Fechei os olhos e lembrei que há um tempo atrás meus dias foram cinzas, chuvosos e tristes. Foi quando meu pai estava no hospital e todos os finais de semana e momentos livres passava junto com ele. Nessa fase me agarrei na frase do Osho "Isso também passará". Sabia que a saída era lá na frente e que a situação iria se transformar. De repente, o peixe pulou na minha frente e me trouxe de volta a minha prancha. Abri os olhos e a gaivota piscou para mim : "Tá vendo, passou !" Me toquei que os dias voltaram a ser ensolarados. Esse instante , guardo junto com meus tesouros e tiro essa imagem de dentro do baú em dias nublados. Em homenagem a essa gaivota resolvi fazer um peixe. Peixe Fernão Capelo Gaivota: 02 Filés de peixe branco (dourado, tilápia, namorado,...) limão pimenta do reino ervas sal marinho Molho pesto light de rúcula: 1/2 xic azeite 01 col de sopa de gergelim branco 04 col de sopa de água 01 molho de rúcula orgânica sal marinho pimenta do reino Tempere os filés com limão pimenta do reino e ervas. Deixe descansar por cerca de 01 hora. Esquente uma grelha ou frigideira de preferência de aço inox, ou teflon que nào esteja descascado. Coloque um fio de óleo de canola ( eu costumo passar com um pincel na panela). Grelhe os filés. Reserve. Bata no liquidificador o gergelim sozinho, depois junte o azeite, a rúcula, pimenta do reino,sal um pouco de água e bata novamente. Coloque uma colher de sopa do molho sobre os filés. Para acompanhar , algumas opções: Saladas Purê de batata baroa legumes cortados em tiras salteados na wok arroz integral com gergelim Tenha um dia ensolarado!

23 de mai de 2010

Life is sweet

Quando estou com um problema martelando a mente aprendi que a melhor coisa a fazer é sair do campo da angústia. Mudar de assunto, dar uma volta, falar com os amigos sobre outras coisas, ver um filme de comédia.
Se estiver barra pesada mesmo me dou de presente um dia de princesa.
Acredito que viemos ao mundo para aprender coisas novas e ser feliz.
Começo o dia de princesa endorfinando o corpo pedalando, correndo ou nadando para liberar a energia estagnada.
Emendo numa sauna .
Depois um mergulho na praia com água de coco olhando o horizonte para abrir a mente.
A tarde entro no salão e faço tudo que tenho direito, pé, mão, cabelo, sombrancelha. Se a grana estiver curta faço máscaras naturais para cabelo corpo e rosto em casa mesmo e fico cheia de pepino na cara, abacate no cabelo e mel espalhado pelo corpo.
Faço uma massagem, se não der para pagar massagista, alugo um amigo ou amiga que saiba fazer.
Compro flores para casa.
E para adoçar o dia finalizo com um docinho de preferência sem causar nenhum estrago no trato que acabei de dar no corpo.
Sobert de manga natural: Ingredientes: 01 manga 01 gengibre 01 folha de hortelã Opcional: Geléia de gengibre sem açucar. Descasque e corte em pedaços uma manga rosa bem madura, guarde em pote com tampa ou saco plástico e congele. Você pode bater os pedaços de manga congelada no liquidificador , passar na centrífuga, ou ralar com um ralador formando fios como um macarrão. Opcional : bata a manga congelada junto com metade de 01 laranja lima espremida. Até formar um creme. Rale um pouco de gengibre por cima do creme. Sirva com uma folhinha de hortelã. Opcional: Em volta do prato coloque um pouco de geléia de gengibre natural sem açucar. Existem marcas inglesas ótimas a venda nos supremercados. A última que comprei é da marca Wilkin & Sons.

22 de mai de 2010

Sob nevoeiro use farol baixo.

Seguimos a vida fazendo escolhas, consultando nosssos mapas, bússolas e guias para determinar o caminho, que lado ir , tentando sempre evitar se perder. Se perder dá medo, apavora. Mas será que se perder é ruim mesmo ? Se perder também abre oportunidades. Oportunidade do desconhecido, do novo, do diferente. Nunca esqueço quando numa viagem em Paris me separei dos amigos e resolvi flanar. Saí com o objetivo assumido de me perder pelas ruas. E nesse dia encontrei um lugar mágico. Uma pequena casinha, charmosa, cheia de tralha, pilhas de livros desorganizadamente arrumados, frases soltas pelo chão, poemas escritos nos degraus, poesias e plantas tudo junto e misturado. Foi como se eu tivesse encontrado a casa de doces do João e Maria. Era a livraria Shakespeare & Co. O dono um senhor rabugento e ao mesmo tempo simpático, não me deixou tirar fotos, mas carrego comigo a lembrança e o cheiro de livro e papel guardado. Foi um momento, um instante, um encontro que surgiu a partir da liberdade de me perder. Os amigos dessa viagem até hoje não conseguiram encontrar a livraria , expliquei que só vão encontrar quando se perderem. Paris me emociona e me dá fome. Respeito e admiro a culinária francesa, mas do meu jeito... Deve ser um crime para os chefs e puristas, mas de cara substituo e elimino a manteiga e o leite das receitas. Essa é uma receita de quiche que adoro fazer para os amigos, já é um clássico. Quiche de palmito e alho poró Ingredientes: Massa 300 gr de farinha sem glúten ( FSG) ou farinha de arroz. 1/2 xíc. de azeite ( vou colcando no olho aos poucos para a massa não ficar muito mole) um pouquinho de água sal marinho a gosto Recheio: 01 vidro de palmito orgânico picado ( lavar antes) 01 alho poró 01 vidro pequeno de cogumelos 02 cebolas pequenas pimenta do reino cominho óleo de canola sal marinho Modo de preparo: Junte a farinha com azeite numa tigela , despeje aos poucos o azeite, amasse bem e forme uma bola. Se necessário coloque um pouquinho de água para dar liga. Até que a massa solte das mãos. Deixe descansar na geladeira coberta por 1h se possível. Prepare o recheio: Refogue o alho poró em rodelas com cebola picada no óleo de canola, pimenta do reino e cominho. Bata no liquidificador o palmito com o cogumelo para formar um creme. Misture o creme delicadamente com o refogado. Abra a massa com rolo em uma superfície lisa. Forre uma forma de quiche, ou torta. Despeje o recheio. Coloque em forno já aquecido. Deixe por pelo menos 30/40 minutos. Para acompanhar salada verde de folhas orgânicas. Nota da autora: As medidas não são exatas pois vou sempre colocando aos poucos até chegar na textura desejada.

6 de mai de 2010

Conforte-me com maçãs

Maçã me lembra amor, que me lembra mãe. Minha mãe não era uma expert na arte culinária, na verdade nem curtia muito cozinhar. Mas essa torta natural que aprendeu em Paris era sua especialidade. Uma ótima pedida para fazer nesse domingo. Friandise aux pommes by mamy Massa Brisé: 250gr de farinha sem glúten ( FSG) ou de arroz 150 gr de manteiga Ghee 5 colheres de sopa de água 01 pitada de sal Misturar com os dedos. Forrar a forma com esta mistura. Cobrir com papel alumínio e encher de feijões crús por cima para massa não estufar. Assar uns 15 minutos. Nota da autora: bem coisa de receita antiga: cobrir com feijões crús ? quem ainda faz isso ? Recheio: Fazer uma compota com maçãs vermelhas. 04 maçãs descascadas e cortadas em cubos. Coloque-as de molho em água com limão. Trocar a água e cozinhar até ficarem transparentes numa calda rala. Essa compota é espalhada sobre a massa brisée depois de retirada do forno. Semoule: 50 grs de farinha sem glúten ou de arroz. 25 grs de manteiga ghee 50 grs de castanhas do pará (de preferencia embalada a vácuo, pois não está oxidada) 25grs de uva passa orgânica hidratadas ( deixar de molho na água da noite para o dia e escorrer ) canela e essência de baunilha orgânica Misturar com os dedos até formar uma farofa. Depois cobrir a compota com esta farofa e levar novamente ao forno até formar uma crosta dourada. Para dar mais gosto a sêmola acrescente casca de limão ou laranja lima ralada. Essa receita mora na memória, carrego comigo, mas nunca mais comi. E se não fosse o velho caderninho azul eu não teria como passar a vocês. Fica aqui a minha homenagem a dona da receita, que me ensinou a respeitar as diferenças,que a justiça e a honestidade devem sempre prevalecer e que na vida a gente deveria experimentar um pouquinho de tudo, desde pintar uma tela, tocar um instrumento, plantar uma horta, desenhar, escrever poesia, fazer cerâmica, jogar volley, dançar, surfar, buscar coisas novas, diferentes, ser aberta a descobertas, lugares e pessoas. Para você que tem a sorte de ter uma mãe ai do lado, aproveite, aprenda com ela, perdoe, agradeça por sua existência. E eu tiro uma casquinha das muitas mães que escolhi como lanternas para iluminar meu caminho. Feliz dia das mães!

Onde isso vai dar eu não sei, mas é para lá que eu vou

Ando meio agitada, inquieta, quicando . Frenética. Quando vejo estou como uma mulher polvo, fazendo tudo ao mesmo tempo, tentando todas as possibilidades. Sei que é uma fase, a fase do movimento,da ação, de semear. E que depois de plantar virá a fase da espera para colheita. Nessas horas recorro a meditação para me manter centrada e não me perder no caminho. No budismo japonês usamos o termo princípio de Itaidoshin que significa diferentes corpos numa única mente. Manter-se conectada com o meio, o todo, com o desejo, o seu coração, para não se sabotar e ir para o lado oposto dos seus mais sinceros sonhos. Além disso uso também alguns segredinhos para os ataques de ansiedade que aprendi com meus gurus da medicina chinesa. Caso alguém se identifique... vale ter sempre em casa. Água de flor de laranjeira - Coloque uma colher de sopa dissolvida em 1 litro de água e tome ao longo dia. Eu deixo a minha em cima da mesa do trabalho. A venda nas lojas de produtos árabes, temperos ou de produtos naturais. Bolinha de camomila da homeopatia. Carrego comigo na bolsa just in case. Em noites de insonia punk mesmo,levanto da cama e faço um suco na centrifuga composto de: 16 folhas de alface lisa, 02 maçãs, 02 talos de aipo. Tomo o suco e volto direto para a cama. O alface e o aipo tem poderes sedativos. Ao lado da cama na mesinha de cabeceira mora uma caixinha com cápsula natural de maracujá. E ainda na chaleira o clássico chá de camomila. Com esse kit não há insônia, ansiedade ou pensamentos frenéticos que resistam. Bons sonhos.

4 de mai de 2010

Cuide bem de você

O que me incomoda no outro geralmente é algo com o que me identifico, que eu tenho e não gosto. O outro espelha aquilo que não quero ver. Por isso se quero mudar alguém, procuro modificar antes a mim mesma. Até porque ser uma pessoa melhor é a melhor maneira de ajudar o outro. Tem assunto que é nosso, tem assunto que é do outro e tem assunto que é do cosmos, do céu, do Universo, de Deus. Para ter uma mente sã, comece pelo combustível , o que você coloca para dentro. Intoxicado com o fígado opilado, fica mais dificil ter clareza do que se quer.Fica tudo turvo, poluído, confuso. Comece limpando. Limpe o seu corpo. Depois a mente começa a se limpar naturalmente. O ex namorado da artista Sophie Calle,mandou muito bem ao menos na frase que ele escreveu na carta de término do namoro: "Cuide bem de você" E seguindo os conselhos do ex Sophie Calle para exorcizar sua dor fez uma linda exposição usando como mote a carta de término. Você tem cuidado bem de você ? Como está a sua pele ? A pele é um orgão de troca do interno com o externo, responsável por manter a temperatura do nosso corpo. E ela também se alimenta. Além de prestar atenção ao que ingerimos pela boca, devemos prestar atenção em como nos hidratamos de fora para dentro. Sabonetes, hidratantes e óleos quanto mais naturais melhor. Com ingredientes mais perto da nossa natureza, o corpo reconhece e incorpora com mais facilidade. Atente para não poluir e intoxicar sua pele com metais, corantes e aditivos químicos presentes em vários produtos de beleza para o corpo. Conheci recentemente a Reserva Folio, uma marca de cosméticos feitos com matérias primas naturais e orgânicas e que tenham comprovado o respeito ao meio ambiente e pelas comunidades envolvidas no seu cultivo. Os produtos possuem o selo de qualidade natural IBD. Simone sócia da empresa se inspirou na marca alemã Welleda para criação da marca. São óleos, sabonetes, cremes e loções de sabores como castanha do pará, cupuaçu,andiroba,mel, própolis,menta, eucalipto, alecrim, entre outros. Vá lá: a venda na loja Universo Orgânico, Shoping da Gávea -1o piso ou pelo site www.reservafolio.com.br Dicas: Nas farmácias em geral procure pelos sabonetes neutros como os de glicerina. Para hidratar o corpo os óleos minerais, de amêndoas, e castanhas costumam ser os mais naturais. Use xampus sem sal, com ingredientes orgânicos. Gosto da marca Surya, dos produtos da Granado, do sabonete Phebo e de óleos e loções para bebês que costumam ser mais naturais. Uma marca incrível com uma linha que vai da pasta de dente a xampus totalmente isentos de metais é a Forever Living, a venda pelo site ou através de revendedoras. www.foreverliving.com.br

Pausa para o café

Gosto muito de sair para tomar um expresso. Muitas vezes almoço em casa ou no trabalho e saio só para tomar o café depois da refeição. Serve para dar um respiro, mudar os ares. Um momento onde paro, penso, faço anotações. Gosto de variar os lugares e tenho o hábito de olhar os cardápios mesmo se eu não for comer nada. Tive uma grata surpresa outro dia quando peguei o cardápio do Cocadine no segundo piso do Shopping da Gávea. O bistrô serve várias comidinhas sem glúten,como torradinhas com geléias, cesta de pães, pizzas, lasanhas vegetarianas, bolo de tapioca, sobremesas sem açucar, além de chás naturais quentes e gelados. Coisa rara de encontrar nos cafés tradicionais. Algumas frescurinhas que costumo usar para dar um toque no café: Uma pitada de canela, ajuda acelerar o metabolismo. Uma gotinha de baunilha orgânica , dá um gostinho e sacia a vontade de sobremesa. Raspas de limão. E minha prima me deu a dica de colocar uma sementinha de cardamomo,esse ainda não provei mas deve ficar um luxo ! Vá lá: COCADINE Shopping da Gávea Rua Marquês de São Vicente, 52 - quiosque 65 (2º piso) - Shopping da Gávea cep: 22451-040 - Rio de Janeiro - RJ tel: (21) 2511-6574 COCADINE Planetário da Gávea Av. Padre Leonel Franca, 240 - quiosque (varanda) - Planetário da Gávea cep: 22451-000 - Rio de Janeiro - RJ tel/fax: (21) 2512-9783

ESPAGUETE DE ABOBRINHA

Minha madastra mora na Alemanha, mas precisamente em Kassel, uma cidadezinha próxima a Frankfurt, onde é realizado o Documenta. Sonia passou uns dias lá em casa e trouxe na mala dezenas de frutas secas dos mais variados sabores, todas produzidas a partir da agricultura Biodinamica. Uma corrente trazida pelo filósofo Rudolf Steiner que preza o principio de "auto-sustentabilidade". Através do equilíbrio entre as várias atividades (lavouras, criação de animais, uso de reservas naturais), busca-se alcançar maior independência possível de energia e de materiais externos à fazenda. Uma agricultura preocupada com a terra, com o meio, com o todo. Hoje Sonia vai embora e como despedida fez um prato que comemos há anos atrás no Universo Organico e desde então ela passou a replicar lá pelas terras alemãs. Além de delicioso mais light impossível. Spaghetti a moda da Sonia via Universo Orgânico. 02 abobrinhas grandes 02 tomates orgânicos 01 cebola pimenta do reino sal castanha do Pará Rale a abobrinha crua de comprido para que os fios fiquem grandes como um macarrão mesmo. Em uma panela faça um molho de tomate clássico. Refogue a cebola picadinha, cozinhe em pouca água os tomates, retire a pele. Tempere com pimenta do reino. Bata no liquidificador. Uma pitada de sal. Atenção, bata o tomate com pouca água para que o molho fique grosso. Coloque o espaguete crú no prato, despeje o molho morno sobre ele. Rale uma castanha do Pará por cima. Para acompanhar : abóbora moranga em pedaços no forno com um fio de azeite e gergelim. Essa receita é adaptada , na original do Universo Organico, o molho de tomate leva macadamia e talvez alguma outra semente, ou o leite da semente, dando ao molho uma consistência mais cremosa. Mas esse segredinho ainda não peguei com a chef Tiana. Agora que o Universo abriu no Shoping da Gávea vai ficar mais fácil. Assim que eu descobrir eu conto para vocês. Mas experimentem a moda da Sonia que já fica uma delícia !

Feiras Orgânicas - Divulgando novos endereços

27 de abr de 2010

O poder das especiarias

Estou hospedando uma indiana. Neha mora em Pune, tem 24 anos, trabalha com projetos sociais de reciclagem é filha de médicos da linha Ayurveda e está viajando pelo Brasil no esquema de couchsurfing: um site pelo qual as pessoas se conectam e viajam pelo mundo hospedando-se nos sofás dos moradores locais da cidade. Antes que me perguntem - eu não faço parte desse site ela parou aqui em casa através de um primo meu que é bem viajado. A indianinha é uma fofa, parece a Yasmin do Aladim e me trouxe vários presentes divinos.Entre eles o chá de cardamomo. Nunca tinha visto. O cardamomo é um excelente digestivo, perfeito para ser tomado após uma refeição. O tempero faz jus a denominação de especiaria, o valor é bastante salgado por aqui. Mas especiaria é especiaria, deve ser tratada como tal. Nesse item não adianta comprar o mais barato, pois muda muito a qualidade do produto. Voltando a minha hóspede, estava super empolgada para ela apresentar um jantar indiano. Só que Neha é suuuuper moderna e fora dos padrões das tradições indianas: não sabe cozinhar, não tem religião, não pratica Yoga e pasmem : come carne vermelha eventualmente. Então decidi que vou fazer eu mesma um jantarzinho básico a moda indiana. Um clássico que tenho na manga. Frango com cúrcuma e gengibre. Simplérrimo ! Ingredientes: 01 bandeja de filé de peito de frango orgânico, ou frango caipira. 01 colher de chá de cúrcuma 01 pedaço médio de gengibre 02 cebolas sal marinho pimenta do reino e limão para temperar os filés Modo de preparo: Lave bem e tempere os filés com limão e pimenta do reino, deixe por 01 hora pelo menos. Pique os filés em cubos e refogue com a cebola em cubos grandes e um pouquinho de água só para não grudar, deve ser colocada aos poucos. Quando a carne estiver branquinha, junte o gengibre ralado e o cúrcuma. Mexa com colher de pau. Regue com um pouquinho de água durante o cozimento até que dourem. Ao final adicione sal e um fio de azeite por cima. O cheiro do cúrcuma, o nosso açafrão da terra toma conta da casa e estimula o apetite. Essa poderosa especiária tem também seus poderes medicinais é antioxidante, antiinflamatório, antimicrobiano, digestivo, entre outras mil funções. Com esse frango gosto de servir acompanhamentos a base de cenoura, vale desde uma salada de cenoura ralada com uva passa, purê de cenoura com batata baroa ou cenoura em palitos refogada na wok com azeite e ervas. Ah ! A mesma receita pode ser feita utilizando peixe branco ou atum no lugar do frango. Exeprimente! Depois me conta.

24 de abr de 2010

Fruta e chiclete

Sempre que viajo adoro experimentar as comidas locais. Fruta diferente me fascina. Em Fortaleza mais precisamente na pequena praia chamada Lagoinha, fui apresentada ao Sapoti. Uma fruta marrom por fora e amarelada por dentro, fisicamente lembra o kiwi, mas o sabor... demorei para conseguir descrever. Hoje , passados três dias que como compulsivamente, o mais próximo que cheguei para descrever o sabor foi um misto de caqui com doce de abóbora e coco queimado. Hein ?! Pois é, desculpa, mas foi o melhor que consegui. A carne parece o caqui mas o sabor é diferente tem um quê de coco, sei lá. A fruta veio da América Central e do México e no Brasil dá muito no Norte e Nordeste,era consumida e apreciada pelos povos Maias e Astecas. Tem muito ferro. Segundo minha tia a gente descobre qual a vitamina predominante nos vegetais e nas frutas através da cor. O Sapoti é marrom , marrom significa muito ferro presente. Descobri que do Látex do tronco do Sapoti faz-se o chiclete.... o que explica o meu amor à primeira vista pela fruta.Sou viciada em chicletes, um dos meus três venenos que ainda não consegui abandonar. Só consumi o Sapoti in natura, mas posso imaginar a delícia que deve ser em calda, sorvete, suco, doces...hummmm. Como nunca vi a fruta no Rio, vou ser obrigada a levar algumas comigo, vai ser muito difícil desapegar...

15 de abr de 2010

Alimento Sagrado

Sou fã do inhame , um alimento sagrado. Comer inhame afasta mosquito. Ótimo para tempos de dengue, febre amarela e outras pestes, foratlece o sistema imunológico. A Isabel que me ajuda nas tarefas do lar está ficando cada vez melhor no creme de inhame. Outro dia desconfiei que ela tinha sabotado e colocado manteiga ou leite. Não uso nenhum desses ingredientes, mas as vezes ela compra ou tem lá em casa para as visitas. Mas a Bel jurou que fez exatamente como eu havia instruido. Claro, dando o toque especial do carinho com que prepara minha comida,ela adora receber meus elogios. Anota aí: Creme de inhame by Bel: Ingredientes: 01 quilo de inhame 01 alho poró 01 cebola grande azeite sal marinho noz moscada água morna Modo de preparo: Cozinhe o inhame ate ficar bem macio. Esprema com espremedor de batatas. Refogue alho poró e cebola na água, vai pingando água aos pouquinhos, não precisa usar óleo nem manteiga. Despeje o creme nesse refogado e pingue aos poucos água morna ( bem pouquinho) até chegar na consistencia desejada. Coloque sal, noz moscada a gosto um fio de azeite e mexa bem. Voilá ! Um creme branquinho perfeito para comer nas noites frias de outono. Aquece a alma e te protege de doenças.

13 de abr de 2010

Publicado no Blog da amiga Chris

Essa matéria foi publicada há um bom tempo pela minha querida amiga paulista Chris Campos. Como estou com saudades dela resolvi compartilhar com vocês. Aliás o site da Chris é o meu sonho de consumo. Um luxo assim como a autora. vá la:http://casadachris.uol.com.br/blog/index.php?id=860
Informações valiosas sobre os ingredientes que colocamos nas nossas receitas do dia-a-dia estão no recém-lançado "Diário de uma Natureba", da jornalista e pesquisadora alimentar Julia Comodo. Julia é carioca, sabe surfar (sempre acho um pouco mágico alguém saber ficar de pé sobre as ondas) e resolveu levar à sério a história de cuidar da alimentação. É inimiga pública número 1 do glutamato de monossódio (ela explica o porquê em vários posts do blog) e sabe como poucas dar dicas para incluir alimentos amigos e excluir os nocivos em uma dieta mais saudável. Julia também é minha amiga. Outro dia ficou hospedada aqui em casa e, durante a estadia, me ensinou dicas valiosas sobre ingredientes que gosto e nem sabia que faziam mal. Assim descobri que existe um shoyo natural, sem aditivos químicos - que adotei na hora em substituição ao industrializado que estava na geladeira. Também resolvi adotar o missô como complemento alimentar antes do jantar - missô natural, não o de saquinho! Como ela mora no Rio e nem sempre está por perto, vou começar a acompanhar suas dicas online. Acho que você também vai gostar.

12 de abr de 2010

Um fondue diferente



Estamos no outono , na natureza é tempo de recolhimento, da busca pelas coisas essenciais.
Onde o corpo começa a fazer suas reservas, estocar e por isso um período naturalmente mais difícil de emagrecer.
O corpo pede comida quentinha, sopinhas, cremes, grãos, tubérculos, bulbos e as raízes que o sustentarão durante o inverno.
Alimentos que agradam e nutrem o pulmão, pulmão gosta de arroz, de papinha, de canjica, de inhame, de aipim, de carinho no estômago.
A noite nada de comida fria, saladas, peixe crú.
Nessa época os laticínios deveriam ser evitados, pois o corpo estoca e provoca muco, um prato cheio para sinusite, congestão e todas as "ites".
Aquele fondue de queijo, queijos e vinhos, ou uma pizza quentinha podem te arrasar no dia seguinte.
Mas como quase todo mundo é meio bezerro , agarrrado ao leite.
Como antídoto , para minimizar o prejú, uma boa é consumir junto alimentos como aipo, alho e gengibre pois ajudam a eliminar o muco. Alho inteiro cozido no forno envolto no papel laminado,pão de alho, uma sopinha de aipo, ou tomar um chazinho de gengibre depois da farra cai bem.
Outra dica para os mais chegados e abertos ao poder das ervas, é um chá de Raiz de Lótus que vende nas lojas de produtos naturais.
E como alternativa aos deliciosos fondues de queijo que tal um fondue diferente ?

Algumas opções de molho:
Faça como se fosse uma sopa de cenoura com gengibre e açafrão, um caldo bem grosso com pouca água temperado com bastante salsa,cebolinha, aipo, cebola, pimenta do reino e um pouco de sal.
Coloque esse caldo grosso na panelinha de fondue.

Molho bechamel de espinafre.
Refogue o espinafre ja cozido bem picadinho com bastante cebola,noz moscada, pimenta do reino e sal.
Adicione na panela uma colher de creme de arroz e água, mexa bem devagar até engrossar.

Pasta de Pimentão vermelho:
Cozinhe os pimentões vermelho e amarelo em pouquíssima agua, refogue com pimenta do reino,alho e sal. Bata no liquidificador até formar uma pasta.

Espete rodelas de inhame , aipim, couve-flor, brócolis e cogumelos cozidos e molhe nos caldos servidos em potinhos.

Uma boa taça de vinho orgânico, espumante ou suco de uva para os mais puros.
Delicie-se.
Seu pulmão vai agradecer.

Lancheira Dajú no Correio Braziliense

29 de mar de 2010

POR QUE USAR A LANCHEIRA

A lancheira térmica Dajú é boa para: - Te acompanhar na rotina do trabalho, academia, faculdade. - Viagens de avião, carro, trem, ônibus. - Pessoas que enfrentam trânsito, e longas esperas nos aeroportos. - Nos momentos de lazer :praia, picnic, caminhadas, parques, cachoeira, piscina. - Carregar sorvete. - Levar refeição congelada, cabe direitinho uma quentinha individual. - Dar de presente de aniversário, dia das mães, natal, dia do amigo, dia dos namorados.Um presente saudável e funcional. -Levar o kit de dieta receitada pela nutricionista. -Levar fruta, fruta seca, iogurte, sanduiche, salada, sopa, suco, água de coco. -Levar mamadeira e papinha do filhote. Ou Ainda..... - Carregar material sensível, negativos, lentes e pequenos acessórios de fotografia. Como comprar: no Rio de Janeiro a venda nas lojas Parceria Carioca: www.parceriacarioca.com.br ou através do email: juliacomodo@gmail.com. Enviamos para qualquer lugar do Brasil.