2 de jun de 2010

Os Anjos

Era um sábado chuvoso,escuro, feio. Não sabia ao certo o que me levava a colocar um biquini,roupa de borracha, arrumar a mochila e partir para uma praia distante. O dia tendia a introspecção,escutar Cat Power, fazer macarrão e ficar meio deprê em casa. E isso era justamente o que eu não queria, então quem sabe com atividades outdoor o dia poderia modificar e tornar-se mais animado e divertido. E lá fomos nós rumo a Grumari. Chegando a praia já dava para sentir o perrengue que viria. O mar estava enorme, e chovia com um vento frio que doía. O irmão da amiga e seus amigos foram os primeiros a se lançarem no mar. Na sequência foram as meninas. Camilla deu sorte e passou a arrebentação de primeira. E eu, sobrei, fiquei para trás e nunca mais consegui sair da vala em que me meti. Passei um sufoco. Dava pra ver os amigos torcendo lá longe ao fundo e ainda a cara de aflição da minha amiga que passou a arrebentação e não sabia como faria para sair dali depois. Um amigo resolveu me resgatar, pediu que eu segurasse no seu pé para que ele remando na frente me puxasse. A tentativa foi boa, mas o mar estava grande mesmo e a manobra não estava fácil. Resumindo, tentei por cerca de 40 min entrtar no mar, até que desolada, acatei a vontade de netuno e redimida saí do mar. Saí ,sentei na areia, abaxei a cabeça e chorei. Chorei o choro dos fracassados,da frustração de uma adolescente que queria estar com os amigos e ficou sozinha na areia triste porque não conseguiu chegar. No terceiro soluço eis que vem vindo em minha direção um boto saindo do mar. - Não desiste não. Um surfista que acompanhava toda a cena e não se conformou. Ainda soluçando levantei a cabeça. - Vamos lá, não desiste não. Aqui está difícil mesmo mas vou te levar num lugar que você vai conseguir. E lá fui eu e meu novo amigo pela areia até o cantinho da pedra. Entramos juntos, ele me posicionou e ficou ali comigo esperando. Só sossegou depois que peguei minha primeira ondinha e viu meu sorriso no rosto. Ainda pude ver ele me aplaudindo e em seguida se despediu retornando para o seu pico. Fiquei ali por um bom tempo me divertindo sozinha e no fim do dia encontrei meus amigos. No carro, voltando para casa fiquei pensando no Zé o surfista que transformou o meu dia. Acho que os anjos aparecem nos momentos em que precisamos. E eles têm forma de gente. Para o Anjo Zé um Yaksoba natural: 01 pacote de massa de arroz bifum 02 cenouras cortadas em tiras Metade de 01 brócolis 01 Nirá ou cebolinha 01 broto de alfafa, brocolis, trevo, etc... 01 vidro de cogumelos champignon 02 cebolas em pedaços 01 pedaço pequeno de gengibre ralado Molho shoyu sem glutamato de monosódio óleo de gergelim crú gergelim branco e/ou preto crú Modo de preparo. Ferva um litro e meio de água. Coloque o macarrão e retire na sequência, um ou dois minutos depois. Atenção pois o macarrão amolece muito rápido. Numa panela Wok coloque um fio de óleo de gergelim, coloque primeiro a cebola, o gengibre, a cenoura o brócolis. Aos poucos adicione o nirá , o broto e os cogumelos. Deixe um tempinho cozinhando com a wok tampada. Mexa delicadamente com colher de pau até que eles fiquem al dente. Regue aos poucos com Shoyu, atenção para não exagerar e não use sal jamais, pois o shoyu é suficientemente salgado. Quando os legumes estiverem al dente, despeje o macarrão cozido que estava no escorredor. Salpique um pouco de gergelim branco e /ou preto por cima. Voilá! Agora é só chamar o seu anjo para jantar.

2 comentários:

  1. ...agora vc sabe! Emocoes e sentimentos sao puro movimento se somados a coragem. Levam para alem de qualquer arrebentacao. Promovem paixoes, cujo efeito se manifesta alem do tempo e do espaco. Essa é a arte que alimenta a alma complementada pela arte de alimentar o corpo.
    Obrigada por essa estimulante obra que passa agora a atuar tambem dentro de mim.

    ResponderExcluir
  2. Oi Julia, vi sua coluna no Personare e adorei então estendi minha pesquisa vendo seu blog e adorei mais ainda. Vou linkar no meu!

    Adorei as receitas.
    Até mais!

    ResponderExcluir