24 de jun de 2010

Saber Viver

Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós. Mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: Colo que acolhe Braço que envolve Palavra que conforta Silêncio que respeita Alegria que contagia Lágrima que corre Olhar que acaricia Desejo que sacia Amor que promove E isso não é coisa de outro mundo É o que dá sentido a vida É o que faz com que ela Não seja nem curta Nem longa demais Mas que seja intensa Verdadeira, pura ... Enquanto durar. Esse texto da poetisa Cora Coralina,conterrânea de Goiás, chegou as minhas mãos atavés de uma amiga budista. Cora é de Goiás Velho uma cidade histórica localizada em Goiás, que lembra a nossa Paraty com suas lamparinas e chão de pedra sabão. Lá acontece o FICA-Festival de Cinema Ambiental, que costumo acompanhar. Além da Cora e do FICA, a pequena cidade é famosa também pela diversidade de sabores dos doces de frutas em compota. Essa semana por acaso nas minhas experiências gastronômicas me arrisquei numa geléia de gengibre em homenagem ao inverno que acabou de chegar. Fiz completamente light e deu certo. Anote ai: 01 gengibre 02 limões (suco) 01 colher de sobremesa de gelatina agar agar em pó ( a venda em lojas de produtos naturais ou japoneses) 01 copo de água ( 250 ml) 01 colher cheia de estévia em pó 01 lima da pérsia descascada e cortada em pequenos pedaços. Modo de fazer: Em uma panela coloque o gengibre picado, o suco do limão,a lima, água filtrada, agar agar em pó e a estévia. Mexa bem devagar com colher de pau. Coloque mais água aos poucos caso seja necessário. O gengibre e a lima devem ficar bem cozidos, e a agar agar virar uma geléia. Apague o fogo e coloque em potinho de vidro com tampa. Esta pronta sua geléia caseira natural. Ótima para comer acompanhada de chá de capim limão com limão espremido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário