29 de mai de 2011

Couve-flor vegan au gratin


Estava frio, vento forte, gelado.
Caminhava pelo calçadão em busca de inspiração, de um sopro de ânimo.
Avistei no horizonte peixes voadores coloridos.
Passei um tempo ali, imersa naquele espetáculo aéreo de kitesurfistas manobrando e saltando sobre as ondas revoltas em dia de ressaca na orla. Lembrei quando tentou me ensinar a manusear a pipa do kite. Precisava entender o vento e coordenar a direção com todas aquelas linhas. Partimos então para o mar, eu agarrada na sua cintura para não voar longe. Parecia um ió-ió.
Que delícia a sensação de ser um golfinho. A noite, deitados na areia da praia me ensinou a perceber como estaria o mar no dia seguinte de acordo com vento. Sudoeste, terral, maral, os pontos cardeais, as estrelas, constelações, as direções, a leitura do céu, a voz do vento. Aprendi a respeitar os tempos.
O tempo do mar, o tempo do vento.
O nosso tempo.
O seu tempo.
O meu tempo.
Demos o tempo.
O tempo passou.
O mesmo vento que fez o encontro acontecer. Soprou para o outro lado e separou.
Que o vento sopre agora bem forte trazendo novos encontros.
Aos bons ventos !
Uma receita perfeita para as noites frias de inverno.
Couve-flor gratinada com molho branco de tofu.
Ingredientes: 01 couve-flor orgânica
02 cebolas grandes 01 salsa
01 cebolinha
01 manjericão
01 alecrim
Noz moscada
Ervas de provance
Cominho
Azeite
Tofu firme marca Ecobras ( pode substituir por pasta ja pronta da mesma marca Tofu cream)
Sal marinho
Alho desidratado em flocos
Modo de preparo: Cozinhe na wok a couve-flor com cebola, salsa, cebolinha, ervas de provance, noz moscada, pimenta do reino, cominho, sal marinho, até ficar al dente. Coloque essa mistura em pirex cubra com o tofu batido no liquidificador com bastante salsa, cebolinha, manjericão, alecrim, azeite, sal. Salpique alho desidratado por cima. Leve ao forno para gratinar.

15 de mai de 2011

Workshop de pão orgânico

Já pensou aprender a fazer seu próprio pão orgânico com direito a provas de vinho e ainda passar um final de semana hospedada em um bucólico vinhedo em Provance...
Tem coisa mais chique ?
O curso acontece durante os finais de semana e o aluno aprende sobre todo o processo desde o plantio do trigo até a colheita e preparo com variados sabores e formatos.
Enquanto os pães estão assando são servidos vinhos da região. Nada mal ... Depois é só se jogar por lá mesmo numa confortável cama de princesa e dormir com os anjos.
Pra quem estiver programando uma viagem por essas bandas. Anota a dica.
Week end in Provence Clos RèveronyRoute de Carsan - de la Chartreuse de Valbonne30134 Pont Saint EspritPhone : +33 (0)4 66 50 66 66 Fax : +33 (0)4 66 50 66 67
Nota da autora : Nesse curso os pães contém Glúten. Vou mandar um email para lá sugerindo umas receitas de pão de arroz.

7 de mai de 2011

Torta sem açucar


Uma analista me libertou ao dizer que podemos imitar quem a gente admira. E isso não é inveja. É admiração.
Tenho uma lista de heróis e heroínas.
Pessoas que me inspiraram, desafiaram, orientaram, incentivaram, sacudiram. Acenderam a luz nos momentos de escuridão me apontando a saída.
Todos fortes e frágeis, agressivos e delicados, yin e yang, equilibrados e desequilibrados, certos e errados, coerentes e loucos.
Humanos , seres capazes de dar conforto, carinho, proteção .
Escolhi uma sobremesa bem gostosa para agradecer e retribuir aos meus heróis.
Sempre na linha light essa receita que aprendi com os chefs do Biocarioca-  restaurante incrível vegetariano no Rio de Janeiro- não leva açucar, ovos, leite nem farinha.

Torta de Frutas Secas:
Ingredientes:
150g de ameixa seca sem caroço 150g de passas 150g de tâmaras sem caroço ½ coco fresco seco (comprado em feira, aquele com casca marrom) 1 colher de sopa de essência de baunilha ou água de flor de laranjeira 1 abacaxi médio Modo de preparo:
Processe no processador todas as frutas secas e o coco. Depois forre uma forma de aro removível com fatias de abacaxi, uma camada cobrindo o fundo. Cubra com a pasta de frutas secas e despeje a baunilha por cima. Cubra com outra camada de abacaxi e leve ao forno já aquecido por cerca de 25min a 30 min. Deixe esfriar em temperatura ambiente ou coloque o recipiente ainda quente na geladeira. Desse modo, a torta ficará mais firme na hora de ser desenformada. Aos meus heróis e heroínas que me mostraram o caminho:
tia Virginia e tio Washington Novaes, Rachel Barros, Tia Rosina e Dr. Abram , Dra Miria Amorim, Maria Carmen e André Lopes ,Claudia Lisboa, Flavita Torres e Zé Borges (in memorian), prima Geise, Sonia Hauck, tia Selma, tia Nancy, Eva Rodrigues, Nina Bittencourt, Henrique Rodrigues.

1 de mai de 2011

Pão sem queijo

Chegou da escola, atirou a mochila na mesa, largou o tênis pelo caminho.
Esbarrando pelas plantas, entrou correndo feliz da vida.
A mãe estava em casa cedo, coisa rara. Porta do quarto, fechada.
Tudo quieto. Devia estar dormindo.
Abriu bem devargarinho para não fazer barulho.
Deitada de bruços ,com a roupa do trabalho, ainda de sapatos. Bolsa jogada ao lado no chão.
Esticou um pouco mais o pescoço e pode ouvir soluços bem baixinho. Fechou a porta no mesmo instante em que percebeu o choro. Atordoada, sem saber como agir. Foi andando em direção a seu quarto.
Entrou no ármario, sentou na pilha de lençóis e se trancou .
Ali era onde se refugiava quando sentia medo ou quando a mãe demorava a voltar para casa.
Quietinha com as pernas encolhidas chorava esperando ela voltar.
Sentia-se protegida naquele lugar apertado e escuro.
Agora a mãe estava em casa.
O motivo que a levou ao esconderijo foi vê-la chorando pela primeira vez. A sua fortaleza desmoronava.
A heroína, mulher-maravilha tornava-se mortal, frágil.
"Do que ela tem medo ? "Se ela tem medo, e agora ? Sentiu raiva.
Amanhã é o dia do seu aniversário. Nem sei mais quantos anos faria.
A menina que se escondia no ármario, não usa mais tênis Bamba. Hoje acorda cedo, trabalha, viaja, malha, cuida da casa, chega tarde em casa e as vezes também se joga na cama com sapato e tudo para chorar. Para ela que me ensinou a desempenhar sempre com carinho e perfeição os muitos papéis que a vida nos apresenta, um de seus quitutes favoritos :pão de queijo.
Pão de queijo vegano
Ingredientes:
2 xícaras de polvilho doce
1/2 xícara de polvilho azedo
2 xícaras de mandioca cozida e amassada,
sal a gosto
1/2 xícara de água filtrada
1/3 de xícara de óleo
1 colher de sopa de fermento em pó
Modo de fazer: Coloque a água e óleo para ferver. Misture os polvilhos, o sal e, quando a água estiver fervente, escalde os polvilhos, mexendo rapidamente.
Junte a mandioca amassada e amasse até que fique uma massa lisa.
Adicione o fermento em pó e misture até incorporar na massa.
Unte as mãos com um pouquinho de óleo e faça bolinhas do tamanho que desejar.
Asse em forno quente até que fiquem amarelinhos.
Podem ser congelados.