19 de fev de 2011

Se entrega na experiência

Resolvi fazer obra em casa. Quebrar paredes, mudar encanamento, trocar o piso. Na 1a semana já completamente arrependida me questionava o motivo de estar fazendo aquilo.A vida já estava suficientemente confusa e era como se eu tivesse colocado uma cabra no meio da sala, para depois que ela fosse embora a vida melhorar. Tem coisa que se a gente pensar muito não faz. E para fazer tem que se jogar. Morando entre casa de amigos queridos, resolvi relaxar e me entregar na experiência. Como se voltasse aos meus 20 anos dividindo apê novamente. Em cada bairro que passo uma semaninha finjo que moro ali e vivo a realidade local. Morando no Leblon corro na areia da praia e dou mergulho todos os dias antes do trabalho. No Jardim Botanico faço o circuito Lagoa. Enfim, programas e passeios que na minha rotina real ficam dificeis de praticar pelo tempo. Esse movimento de entrega está quebrando meus paradigmas,tirando da zona de conforto, dando uma sacudida geral. E está sendo otimo. Percebi que sou bem mais flexivel do que pensava. Que sou capaz de dormir no chão, acordar com criança chorando, chegar tarde e contar histórias para o pequeno dormir, usar uma mesma combinação de peças de roupa por algumas semanas, viver com dois pares de sapato, um biquine, um jeans, um batom. Concluí que fazia uma imagem equivocada da minha pessoa, afinal não sou tão mimada assim. Esta experiência prática simboliza outras grandes mudanças de postura. A quebra de paradigmas. Resolvi agora fazer tudo diferente do meu costume. Agir da forma oposta a usual. Por exemplo tive que ser mais flexivel com a alimentação. Claro sigo uma filosofia e um conceito que gosto , acredito e me faz bem. Mas a rotina e a prática diária do suco na centrifuga na casa de amigos por exemplo não está sendo possivel. No lugar do suco agora tomo limão espremido com água em jejum e aguardo por 40 minutos antes de tomar o café da manhã. Ajuda a limpar, eliminar as toxinas do corpo. A gelatina de algas - Agar Agar que comia todos os dias para o tônus da pele e fortalecimento das articulações também não está dando, por isso inseri algas desidratas nas saladas que levo para o almoço do trabalho. Enfim estou me adaptando e me saindo muito bem. Para matar as saudades confesso que o suco da centrífuga esporadicamente peço no Bibi Sucos para fazer a minha receita e tem dado certo. Está sendo legal bricar de ser outra Julia. Uma outra que eu não inventei e mora dentro de mim. De vez em quando tirar tudo do lugar, sacudir , misturar, faz muito bem para mudar o ponto de vista e se transformar.