27 de abr de 2010

O poder das especiarias

Estou hospedando uma indiana. Neha mora em Pune, tem 24 anos, trabalha com projetos sociais de reciclagem é filha de médicos da linha Ayurveda e está viajando pelo Brasil no esquema de couchsurfing: um site pelo qual as pessoas se conectam e viajam pelo mundo hospedando-se nos sofás dos moradores locais da cidade. Antes que me perguntem - eu não faço parte desse site ela parou aqui em casa através de um primo meu que é bem viajado. A indianinha é uma fofa, parece a Yasmin do Aladim e me trouxe vários presentes divinos.Entre eles o chá de cardamomo. Nunca tinha visto. O cardamomo é um excelente digestivo, perfeito para ser tomado após uma refeição. O tempero faz jus a denominação de especiaria, o valor é bastante salgado por aqui. Mas especiaria é especiaria, deve ser tratada como tal. Nesse item não adianta comprar o mais barato, pois muda muito a qualidade do produto. Voltando a minha hóspede, estava super empolgada para ela apresentar um jantar indiano. Só que Neha é suuuuper moderna e fora dos padrões das tradições indianas: não sabe cozinhar, não tem religião, não pratica Yoga e pasmem : come carne vermelha eventualmente. Então decidi que vou fazer eu mesma um jantarzinho básico a moda indiana. Um clássico que tenho na manga. Frango com cúrcuma e gengibre. Simplérrimo ! Ingredientes: 01 bandeja de filé de peito de frango orgânico, ou frango caipira. 01 colher de chá de cúrcuma 01 pedaço médio de gengibre 02 cebolas sal marinho pimenta do reino e limão para temperar os filés Modo de preparo: Lave bem e tempere os filés com limão e pimenta do reino, deixe por 01 hora pelo menos. Pique os filés em cubos e refogue com a cebola em cubos grandes e um pouquinho de água só para não grudar, deve ser colocada aos poucos. Quando a carne estiver branquinha, junte o gengibre ralado e o cúrcuma. Mexa com colher de pau. Regue com um pouquinho de água durante o cozimento até que dourem. Ao final adicione sal e um fio de azeite por cima. O cheiro do cúrcuma, o nosso açafrão da terra toma conta da casa e estimula o apetite. Essa poderosa especiária tem também seus poderes medicinais é antioxidante, antiinflamatório, antimicrobiano, digestivo, entre outras mil funções. Com esse frango gosto de servir acompanhamentos a base de cenoura, vale desde uma salada de cenoura ralada com uva passa, purê de cenoura com batata baroa ou cenoura em palitos refogada na wok com azeite e ervas. Ah ! A mesma receita pode ser feita utilizando peixe branco ou atum no lugar do frango. Exeprimente! Depois me conta.

24 de abr de 2010

Fruta e chiclete

Sempre que viajo adoro experimentar as comidas locais. Fruta diferente me fascina. Em Fortaleza mais precisamente na pequena praia chamada Lagoinha, fui apresentada ao Sapoti. Uma fruta marrom por fora e amarelada por dentro, fisicamente lembra o kiwi, mas o sabor... demorei para conseguir descrever. Hoje , passados três dias que como compulsivamente, o mais próximo que cheguei para descrever o sabor foi um misto de caqui com doce de abóbora e coco queimado. Hein ?! Pois é, desculpa, mas foi o melhor que consegui. A carne parece o caqui mas o sabor é diferente tem um quê de coco, sei lá. A fruta veio da América Central e do México e no Brasil dá muito no Norte e Nordeste,era consumida e apreciada pelos povos Maias e Astecas. Tem muito ferro. Segundo minha tia a gente descobre qual a vitamina predominante nos vegetais e nas frutas através da cor. O Sapoti é marrom , marrom significa muito ferro presente. Descobri que do Látex do tronco do Sapoti faz-se o chiclete.... o que explica o meu amor à primeira vista pela fruta.Sou viciada em chicletes, um dos meus três venenos que ainda não consegui abandonar. Só consumi o Sapoti in natura, mas posso imaginar a delícia que deve ser em calda, sorvete, suco, doces...hummmm. Como nunca vi a fruta no Rio, vou ser obrigada a levar algumas comigo, vai ser muito difícil desapegar...

15 de abr de 2010

Alimento Sagrado

Sou fã do inhame , um alimento sagrado. Comer inhame afasta mosquito. Ótimo para tempos de dengue, febre amarela e outras pestes, foratlece o sistema imunológico. A Isabel que me ajuda nas tarefas do lar está ficando cada vez melhor no creme de inhame. Outro dia desconfiei que ela tinha sabotado e colocado manteiga ou leite. Não uso nenhum desses ingredientes, mas as vezes ela compra ou tem lá em casa para as visitas. Mas a Bel jurou que fez exatamente como eu havia instruido. Claro, dando o toque especial do carinho com que prepara minha comida,ela adora receber meus elogios. Anota aí: Creme de inhame by Bel: Ingredientes: 01 quilo de inhame 01 alho poró 01 cebola grande azeite sal marinho noz moscada água morna Modo de preparo: Cozinhe o inhame ate ficar bem macio. Esprema com espremedor de batatas. Refogue alho poró e cebola na água, vai pingando água aos pouquinhos, não precisa usar óleo nem manteiga. Despeje o creme nesse refogado e pingue aos poucos água morna ( bem pouquinho) até chegar na consistencia desejada. Coloque sal, noz moscada a gosto um fio de azeite e mexa bem. Voilá ! Um creme branquinho perfeito para comer nas noites frias de outono. Aquece a alma e te protege de doenças.

13 de abr de 2010

Publicado no Blog da amiga Chris

Essa matéria foi publicada há um bom tempo pela minha querida amiga paulista Chris Campos. Como estou com saudades dela resolvi compartilhar com vocês. Aliás o site da Chris é o meu sonho de consumo. Um luxo assim como a autora. vá la:http://casadachris.uol.com.br/blog/index.php?id=860
Informações valiosas sobre os ingredientes que colocamos nas nossas receitas do dia-a-dia estão no recém-lançado "Diário de uma Natureba", da jornalista e pesquisadora alimentar Julia Comodo. Julia é carioca, sabe surfar (sempre acho um pouco mágico alguém saber ficar de pé sobre as ondas) e resolveu levar à sério a história de cuidar da alimentação. É inimiga pública número 1 do glutamato de monossódio (ela explica o porquê em vários posts do blog) e sabe como poucas dar dicas para incluir alimentos amigos e excluir os nocivos em uma dieta mais saudável. Julia também é minha amiga. Outro dia ficou hospedada aqui em casa e, durante a estadia, me ensinou dicas valiosas sobre ingredientes que gosto e nem sabia que faziam mal. Assim descobri que existe um shoyo natural, sem aditivos químicos - que adotei na hora em substituição ao industrializado que estava na geladeira. Também resolvi adotar o missô como complemento alimentar antes do jantar - missô natural, não o de saquinho! Como ela mora no Rio e nem sempre está por perto, vou começar a acompanhar suas dicas online. Acho que você também vai gostar.

12 de abr de 2010

Um fondue diferente



Estamos no outono , na natureza é tempo de recolhimento, da busca pelas coisas essenciais.
Onde o corpo começa a fazer suas reservas, estocar e por isso um período naturalmente mais difícil de emagrecer.
O corpo pede comida quentinha, sopinhas, cremes, grãos, tubérculos, bulbos e as raízes que o sustentarão durante o inverno.
Alimentos que agradam e nutrem o pulmão, pulmão gosta de arroz, de papinha, de canjica, de inhame, de aipim, de carinho no estômago.
A noite nada de comida fria, saladas, peixe crú.
Nessa época os laticínios deveriam ser evitados, pois o corpo estoca e provoca muco, um prato cheio para sinusite, congestão e todas as "ites".
Aquele fondue de queijo, queijos e vinhos, ou uma pizza quentinha podem te arrasar no dia seguinte.
Mas como quase todo mundo é meio bezerro , agarrrado ao leite.
Como antídoto , para minimizar o prejú, uma boa é consumir junto alimentos como aipo, alho e gengibre pois ajudam a eliminar o muco. Alho inteiro cozido no forno envolto no papel laminado,pão de alho, uma sopinha de aipo, ou tomar um chazinho de gengibre depois da farra cai bem.
Outra dica para os mais chegados e abertos ao poder das ervas, é um chá de Raiz de Lótus que vende nas lojas de produtos naturais.
E como alternativa aos deliciosos fondues de queijo que tal um fondue diferente ?

Algumas opções de molho:
Faça como se fosse uma sopa de cenoura com gengibre e açafrão, um caldo bem grosso com pouca água temperado com bastante salsa,cebolinha, aipo, cebola, pimenta do reino e um pouco de sal.
Coloque esse caldo grosso na panelinha de fondue.

Molho bechamel de espinafre.
Refogue o espinafre ja cozido bem picadinho com bastante cebola,noz moscada, pimenta do reino e sal.
Adicione na panela uma colher de creme de arroz e água, mexa bem devagar até engrossar.

Pasta de Pimentão vermelho:
Cozinhe os pimentões vermelho e amarelo em pouquíssima agua, refogue com pimenta do reino,alho e sal. Bata no liquidificador até formar uma pasta.

Espete rodelas de inhame , aipim, couve-flor, brócolis e cogumelos cozidos e molhe nos caldos servidos em potinhos.

Uma boa taça de vinho orgânico, espumante ou suco de uva para os mais puros.
Delicie-se.
Seu pulmão vai agradecer.

Lancheira Dajú no Correio Braziliense